terça-feira, 27 de outubro de 2015

Semana do AVC mobiliza profissionais e população Doença já é a principal causa de morte e incapacidade no trabalho

 A partir desta terça-feira (27), a Academia Brasileira de Neurologia, com o apoio da Secretaria de Saúde e do Ministério da Saúde, promove a Semana do Acidente Vascular Cerebral (AVC). A ação propõe a realização de atividades para a conscientização dos profissionais de saúde e da população em geral sobre a doença, principal causa de morte e incapacidade para o trabalho no país.
 “Queremos ampliar a discussão sobre o AVC, pois ele não tem faixa etária definida”, destaca a neurologista Elza Tosta, presidente da Academia Brasileira de Neurologia e preceptora em Neurologia do Hospital de Base, lembrando que até mesmo um bebê pode ter a doença. “Existem também fatores específicos que aumentam a incidência de AVC nas mulheres, por exemplo”, ressalta.
 Segundo a profissional, além de orientações sobre o AVC, o evento visa dar importância à questão do atendimento. “Uma assistência rápida, com procedimentos adequados, internação e a reabilitação são decisivos para a melhora no quadro do paciente”, acrescenta.
 PROGRAMAÇÃO – Às 19 horas desta terça-feira (27), haverá palestra no Auditório 1 do Hospital Universitário de Brasília (HUB) para profissionais de saúde. Serão abordados prevenção, diagnóstico, abordagens terapêuticas imediata e a longo prazo e técnicas de reabilitação.
 O temas específicos serão Acidente Vascular na infância, AVC em crianças com anemia falciforme e na mulher, causas genéticas da doença, repercussões psicopedagógicas e reabilitação. Os especialistas palestrantes são apoiados e certificados pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs).
 Na sexta-feira (30), a população também poderá participar do evento, por meio de uma programação variada que acontecerá no Parque da Cidade, a partir das 9 horas, oferecida por equipes de profissionais e alunos de fisioterapia, nutrição, enfermagem, medicina e educação física.
“A proposta é estimular hábitos saudáveis, mostrar a sua importância como fatores de prevenção, além de ensinar como reconhecer um AVC e o que fazer no momento da perda das funções do cérebro”, destaca a neurologista.
 HBDF - O Centro Neurocardiovascular do Hospital de Base figura como unidade de referência para assistência ao usuário com AVC isquêmico em sua fase aguda, AVC hemorrágico, bem como aos casos de infarto agudo do miocárdio, bloqueios cardíacos, paradas cardíacas, entre outros.
 O paciente Elismar Reis foi atendido no centro em agosto deste ano, em razão de um AVC isquêmico. “Acho que se não fosse o atendimento do Neurocardio, ele teria morrido ou ficado com sequelas graves. Ele vem melhorando a cada dia, faz fisioterapia para reabilitação e está bem”, relata a esposa.

 De janeiro a setembro deste ano, foram atendidos 376 pessoas com AVC no Hospital de Base.

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo