quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Misses plus size fazem ato em apoio a Taís Araújo em frente ao Congresso

Misses plus size na frente do Congresso Nacional  (Foto: Michele Mendes/G1)
Elas usaram perucas e pediram silêncio e punição a envolvidos no caso.Atriz foi alvo de comentários racistas em rede social desde a noite de sábado.Nove misses plus size, entre elas a participante do The Voice Brasil Joelma Taynara, fizeram um protesto em Brasília nesta terça-feira (3) para pedir o fim do preconceito contra gordinhas e para apoiar a atriz Taís Araujo, alvo de comentários racistas em uma rede social desde a noite de sábado (31). Vestidas de preto em sinal de luto, com perucas de cabelos encaracolados, como os da atriz, e com um cartaz pedindo silêncio ao racismo, elas fizeram o gesto de silêncio no gramado em frente ao Congresso Nacional.A organizadora da campanha, Janaína Graciele, diz que a ideia de fazer o protesto surgiu porque as misses plus size se identificaram com a causa.

"Nós sofremos preconceito como a Taís sofreu nas redes sociais, e ela tirou uma foto colocando a mão na boca como se fosse um 'psiu', então nós estamos aqui para apoiar, colocando as perucas que imitam o cabelo dela. E vamos lá dizer que somos todos Thaís Araújo, que independente do tipo do preconceito, ele não pode ser aceito."
A participante do The Voice Brasil Joelma Taynara disse que foi convidada e que vê a ação como um ato com coragem. "Não é só um apoio a Taís, mas a todos que sofrem e sofreram preconceito. Ela é uma pessoa conhecida e que é admirada por muitos e sofreu isso, imagina quem está na favela. Nós queremos igualdade."
Joelma Tynara e Ana Paula (Foto: Michele Mendes/G1)Joelma Tynara e Ana Paula durante protesto em
frente ao Congresso (Foto: Michele Mendes/G1)
"O 'psiu' é um cala a boca ao preconceito. Nós queremos mostrar que somos iguais. Eu convivi com isso muito tempo e a gente precisa dar um 'psiu', um cala a boca a estas atitudes. A Taís foi vítima de preconceito e tem um igualdade com a gente, juntas somos iguais, nós sofremos o preconceito dela", afirma a miss Ana Paula.
O caso 
O delegado Alessandro Thiers, responsável pela investigação de ofensas racistas contra a atriz Taís Araújo em redes sociais, afirmou queteve início nesta terça a coleta de dados para descobrir se a pessoa responsável pela publicação irá responder por injúria racial ou racismo.
Em entrevista ao Bom Dia Rio, o delegado falou sobre a diferença entre os dois crimes. "Nós pretendemos ouvir todos os envolvidos para saber de fato o que ocorreu. A injúria racial é com relação a uma pessoa, é individual. O racismo já é contra uma coletividade. Por exemplo, no caso de você impedir que a pessoal frequente um lugar por uma questão racial."
Acusados de injúria racial podem pegar até três anos de prisão. O racismo é considerado mais grave e pode dar pena de até cinco anos.
Atriz é alvo de comentários racistas em rede social (Foto: Reprodução/Facebook)Atriz Taís Araújo, alvo de comentários racistas em rede social (Foto: Facebook/Reprodução)
Desabafo
Taís desabafou na mesma rede onde foi ofendida e antecipou que vai recorrer à Polícia Federal (Leia o texto na íntegra abaixo). No Twitter, ela reproduziu o texto junto a hashtag "Não Passarão".
Confira o desabafo de Taís Araújo
"É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar. Na última noite, recebo uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à Polícia Federal. Eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que eu senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena neste país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça.
Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu! Por ironia do destino ou não, isso ocorreu no momento em que eu estava no palco do teatro Faap com o “Topo da Montanha”, um texto sobre ninguém  menos que Martin Luther King e que fala justamente sobre afeto, tolerância e igualdade. Aproveito pra convidar você, pequeno covarde, a ver e ouvir o que temos a dizer. Acho que você está precisando ouvir algumas coisinhas sobre amor.
Agradeço aos milhares que vieram dar apoio, denunciaram comigo esses perfis e mostraram ao mundo que qualquer forma de preconceito é cafona e criminosa. E quero que esse episódio sirva de exemplo: sempre que você encontrar qualquer forma de discriminação, denuncie. Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado.A minha única resposta pra isso é o amor!"

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo