sábado, 9 de janeiro de 2016

6 problemas ginecológicos que toda mulher deveria conhecer

Você já sabe a respeito de infecções vaginais e infecções urinárias, mas muitos outros problemas podem surgir na região íntima do corpo, de caroços misteriosos a fortes corrimentos e dores inexplicáveis. Você tem sintomas estranhos? Dê uma olhada nesta lista e ligue para o seu médico.
Problema ginecológico #1: Vulvodínia
A dor crônica na vulva (a área ao redor da vagina) que não é causada por uma infecção ou outra condição médica, é chamada de vulvodínia. Ninguém sabe ao certo quais são as suas causas, mas ela pode estar relacionada aos hormônios, inflamação, ou problemas nervosos, como uma lesão ou um aumento na densidade de nervos da vulva. Você pode sentir uma “pontada” de dor que vem e vai, ou pode experimentar ardência, coceira, ou desconforto geral na região.
A dor da vulvodínia pode ser sentida de repente, mas fazer exercícios, ter relações sexuais ou usar calcinhas e roupas muito apertadas também pode desencadeá-la. Algumas mulheres têm vulvodínia generalizada, quando a dor ocorre praticamente em todas as partes da vulva; outras têm vestibulite vulvar, que significa que a dor é limitada à entrada do vestíbulo (área ao redor da entrada da sua vagina).
O que fazer: Consulte o seu médico. A única forma de diagnosticar a vulvodínia é descartar outras possíveis causas de dor (como as infecções). Não há uma cura óbvia, mas evitar qualquer coisa que possa desencadear o desconforto ,como usar roupas justas ou ficar sentada durante muito tempo pode ajudar. Bolsas de gelo ajudam a aliviar a dor, assim como uma anestesia local administrada pelo seu médico. Algumas mulheres encontram alívio com técnicas de fisioterapia e biofeedback.
Problema ginecológico #2: Tricomoníase
A culpa por esta doença sexualmente transmissível é de um organismo minúsculo chamado trichomonas vaginalis, diz Arlene Kelber, ginecologista no Hospital da Universidade de Stony Brook, nos Estados Unidos. Você pode notar um corrimento amarelado e espumoso, além de irritação vaginal — ou pode não ter sintomas. De acordo com o Centro para Controle de Doenças dos Estados Unidos, apenas 30% das mulheres com esta doença apresentam sintomas.
O que fazer: Fale com o seu médico; ele irá examinar o seu corrimento para buscar evidências deste parasita. A tricomoníase é curada facilmente com antibióticos, que o seu parceiro sexual também deve tomar. É preciso interromper a prática de relações sexuais durante o tratamento.
Problema ginecológico #3: Vaginose bacteriana
A vaginose bacteriana difere de outras infecções pois ela não é causada por um invasor externo. Ela ocorre devido a um crescimento exagerado e mudança na composição das bactérias que normalmente estão presentes na vagina, diz Kelber. Ninguém sabe exatamente por que o equilíbrio entre bactérias “boas” e “ruins” é alterado, mas fazer duchas vaginais, ter um novo parceiro sexual ou manter vários parceiros pode ter uma influência neste fato. Você pode notar sintomas desagradáveis como um corrimento cinza, com odor de peixe. A vaginose é muito comum e você pode desenvolvê-la mesmo sem ser sexualmente ativa.
O que fazer: Vá ao ginecologista. Primeiramente, é importante ter certeza de que você tem vaginose bacteriana e não uma infecção fúngica ou uma doença sexualmente transmissível. E embora a vaginose, por si só, não seja perigosa — ela pode até desaparecer naturalmente — o seu médico provavelmente irá receitar um antibiótico para acabar com ela. A razão: a vaginose bacteriana pode deixá-la mais vulnerável a outras infecções mais graves, incluindo o HIV. Ela também pode causar problemas durante a gestação, como desencadear um trabalho de parto prematuro.
Problema ginecológico #4: Caroços e protuberâncias
Você sentiu um caroço que não consegue identificar? Pode ser algo tão simples quanto um pelo encravado — você se depilou recentemente? Ou pode ser uma condição chamada cisto de Bartholin. Você tem 2 glândulas de Bartholin dentro da sua vagina; elas secretam fluidos lubrificantes (felizmente!), mas também podem se tornar obstruídas e inchar (e, às vezes, o inchaço pode infeccionar). A mesma coisa pode acontecer com outra glândula vaginal interna, chamada glândula de Skene.

O que fazer: Se o culpado é um pelo encravado, aplicar uma compressa quente pode ajudar. (Saiba aqui como remover um pelo encravado.) Mas se a área está inchando rápido demais, causa muita dor, ou fica vermelha e sensível, é melhor consultar o seu médico pois ela pode estar infeccionada, diz Lindsay Appel, ginecologista da região de Baltimore, nos Estados Unidos. Se você realmente tiver uma glândula infectada, seu médico pode precisar drená-la cirurgicamente.
Problema ginecológico #5: Varicosidade vulvar

Isso é exatamente o que parece: varizes, mas nos lábios vaginais ou em outra parte da região íntima. “Algumas mulheres dizem que as veias parecem ‘vermes,’” diz Raquel B. Dardik, professora de obstetrícia e ginecologia no Centro Langone’s Joan H. Tisch para a Saúde da Mulher, na Universidade de Nova Iorque, Estados Unidos. Você pode sentir pressão, sensação de inchaço e desconforto, ou notar veias azuladas. A varicosidade vulvar é mais comum durante a gravidez (e mais ainda na segunda gestação), quando o peso do útero, somado ao aumento no volume de sangue, pode fazer com que ele se acumule nas veias. Ficar muito tempo em pé costuma agravar o problema.
O que fazer: Se você está grávida, coloque as pernas para cima e relaxe sempre que puder, diz Kelber. O problema costuma desaparecer após o parto. Nadar é outra boa maneira de aliviar a pressão do útero nas suas veias e melhorar a circulação sanguínea. Compressas frias também podem ajudar. Entretanto, se você não está grávida — ou se o problema não desapareceu após a chegada do bebê — consulte o seu médico. O tratamento pode ser feito com escleroterapia, que envolve injetar uma solução salina nas veias, fazendo com que elas colapsem e desapareçam.
Problema ginecológico #6: Vaginismo
O simples fato de pensar em qualquer coisa entrando na sua vagina (um absorvente interno, um instrumento para a realização de um exame, um pênis…) causa dor? Pode ser vaginismo, uma condição na qual qualquer penetração vaginal, ou a mera sugestão da mesma ,faz com que os músculos vaginais e do assoalho pélvico se contraiam e tenham espasmos. Obviamente o vaginismo pode causar sérios problemas sexuais; para algumas mulheres, a dor e a contração fazem com que a relação sexual seja praticamente impossível. A causa nem sempre é clara, mas pode estar ligada a um abuso ou lesão sexual do passado.
O que fazer: Não fique com vergonha (os médicos já viram de tudo!) e consulte um profissional. “Os ginecologistas são treinados para ajudar as mulheres a lidarem com isso, para que possam desfrutar do sexo novamente,” diz Appel. Entretanto, a solução nem sempre é simples: para algumas mulheres, é necessária uma combinação de terapia física e psicológica para chegar à raiz do problema. Praticar exercícios Kegel — que requerem que você aperte os músculos do assoalho pélvico (como se você estivesse segurando a urina) também pode ajudar.
Este artigo‘6 Vagina Problems Every Woman Should Know About’ foi publicado originalmente na Prevention.com.
Por Denise Schipani

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo