quinta-feira, 31 de março de 2016

Violinista Clinaura Macedo ​Violinista encanta pacientes no Base,Voluntária diz que a música traz tranquilidade e bem-estar as pessoas

   "O trabalho é edificante e realizador, pois a música tem o poder de curar, libertar e emocionar". É assim que a voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Clinaura Macedo, define sua atuação no apoio às pacientes com câncer do Hospital de Base. A tarefa é realizada com a apresentação de músicas barrocas de Vivaldi e Bach, tocadas ao som de violino, no corredor do ambulatório de Ginecologia Oncológica e Mastologia, todas às quartas-feiras pela manhã.
 Segundo Clinaura Macedo, o objetivo da musicoterapia é proporcionar a harmonização e o bem-estar das pessoas presentes. "A verdadeira intenção é que aconteça o resultado mais profundo, que é o de mexer com as pessoas, levar tranquilidade, sensação de repouso e muita emoção", destaca a violinista.

 Conforme explica a voluntária, a música do período barroco tem efeito positivo no cérebro do ouvinte. "Está comprovado que a melodia barroca organiza o cérebro, tem uma disposição de notas que é matematicamente perfeita, onde as dissonâncias são resolvidas. Isso traz uma harmonia, uma energia que se resolve. O leigo não entende bem isso, mas sente quando escuta a música", completa.
 SATISFAÇÃO - De acordo com a paciente Eliane Maria de Brito, escutar o som do violino é uma alegria e um momento de grande satisfação. "Quando chegamos aqui de cabeça baixa e desanimados, ouvimos a música e vem aquela sensação de leveza e o astral levanta. Acho o trabalho importantíssimo para nós", observa.
 "A música, sem dúvida nenhuma, tem ação terapêutica para as usuárias. Elas comentam comigo no consultório, dizem que adoram, que é relaxante e ameniza o momento atual que enfrentam", comenta a ginecologista oncológica Walquiria Primo.
 ATENDIMENTO - As unidades de Mastologia e Ginecologia Oncológica do Hospital de Base atendem diariamente cerca de 40 pacientes. O grupo Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília, do qual Clinaura Macedo é voluntária, foi fundado em 1996 e conta, atualmente, com 140 voluntários. O movimento exerce várias atividades no hospital, desde confecção de perucas para pacientes da Quimioterapia (Oncologia), a distribuição de lanches e cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade.

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo