quinta-feira, 14 de abril de 2016

Segurança na Esplanada

A deputada Celina Leão, presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), recebeu, nesta quinta-feira (14), na CLDF, a secretária de Segurança Pública do DF, Márcia de Alencar Araújo, que esclareceu como será o esquema de segurança na Esplanada dos Ministérios, no próximo domingo (17), durante a votação do impeachment, na Câmara dos Deputados.
Atenta ao movimento da população na cidade, Celina Leão disse estar preocupada com a segurança da população. “Apoio o impeachment mas defendo a segurança para todos. Acho que a Esplanada representa o símbolo da nossa democracia. Com certeza todas as pessoas que querem acompanhar esse processo desejam estar ali. Acho que foi natural dividir em dois grupos, ideologicamente contrário e a favor do impeachment”, concordou Celina, que disse ainda apoiar a decisão do GDF de proibir a venda de álcool nas manifestações.
"Queremos que domingo seja um dia de paz na Esplanada e acredito que será, pois, a maioria das pessoas só quer estar lá para participar desse momento democrático", diz Celina. 
A mesa da reunião foi composta pela secretária de Segurança Pública, Márcia de Alencar Araújo, o deputado Raimundo Ribeiro, Júlio César, Ricardo Vale e Bispo Renato, e pelos deputados federais Rôney Nemer (PP-DF) e Ronaldo Fonseca (PROS-DF), além de representantes de outros parlamentares.
A presidente da Casa disse que a população brasileira está à altura do momento que estamos vivendo. “Aproveito para pedir tolerância daqueles que irão se manifestar. A violência afeta a vida daquela pessoa que promove a violência e não o resultado. Pode mudar a vida daquela pessoa que está incitando a violência, e ela vai responder sobre isso”, prevê a deputada. E completa: “ali é o lugar correto para a democracia e não vejo outra forma de manter a segurança dos dois grupos que não seja essa barreira de 80 metros como esclareceu a secretária de Segurança. Tenho a certeza de que os deputados que são favoráveis ao impeachment irão participar da manifestação. E os contrários também, com toda a potencialidade da democracia”, esclareceu.
A secretária Márcia de Alencar apresentou detalhes do plano de segurança e respondeu as perguntas dos componentes da mesa sobre a importância da divisão dos grupos pró e contra o impeachment. "Não se trata de um muro, como foi comentado nos últimos dias. O que planejamos é algo mais complexo, que consiste em dois corredores com 80 metros de largura cada e ocupados por homens da tropa de choque e da polícia montada, batalhão de cães, além de viaturas que ficarão circulando para atender qualquer ocorrência", esclareceu.
Para o domingo, está previsto um esquema de segurança que contará com a participação de três mil homens da Polícia Militar, 300 policiais legislativos do Congresso Nacional e 700 policiais civis, além de contingentes do Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal e tropas da Força Nacional. A secretária sublinhou que a mobilização policial só aplicará o uso da força em caso de necessidade. "Temos as polícias mais preparadas e menos letais do País". 
Ao final, Márcia de Alencar explicou o papel da Secretaria de Segurança. "Não foi Brasília que criou essa disputa que dividiu o Brasil, e a Esplanada não será palco de um confronto. Brasília tem vocação para receber manifestações democráticas e o nosso papel é garantir o pleno exercício do direito de participação política", completou.
O número de manifestantes esperados é de 300 mil pessoas. "Nossa expectativa é que compareçam 150 mil pessoas de cada lado. Garanto que há espaço suficiente para todos participarem de forma tranquila, mas sempre recomendamos que crianças, idosos e pessoas com alguma vulnerabilidade evitem aglomerações", ressaltou a secretária.   
A votação está prevista para começar às 14h. Não haverá acesso de carro pela Esplanada e nem nas vias paralelas.
 Ascom da deputada Celina Leão

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo