quinta-feira, 12 de maio de 2016

O que a parábola da formiga desmotivada tem a ver com a sua carreira?

Já ouviu falar da formiga desmotivada? Acredite ou não, essa história pode ter tudo a ver com o seu momento de carreira.
Quando somos crianças, a maior parte dos nossos aprendizados é em formato de histórias lúdicas. Bem aquela coisa de “brincando podemos até falar verdades”. É o caso desta parábola de autor desconhecido. Muitas empresas e gestores fazem exatamente o que a cigarra faz, mas no final do conto a maioria acaba (infelizmente) se identificando com a formiga. Olha só:
“Todos os dias, uma formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho. A formiga era produtiva e feliz.
O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão. Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada. E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora.
A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga.
Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas.
O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões.
A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida.
Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões!
O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava. O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial.
A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente, a pulga (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.
A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo que era preciso fazer uma pesquisa de clima. Mas o marimbondo, ao rever as finanças, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação.
A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: Há muita gente nesta empresa!
E adivinha quem o marimbondo mandou demitir?
A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida.”
A história é mais presente na vida real do que a gente imagina. E pode ser uma maneira de refletir e entender talentos que não permanecem ou não se sustentam internamente. Se você de identificou com algum dos papéis, pode ser uma boa hora para repensar a sua carreira :)
Tags: #reflexão
Vicente Carvalho
Um eterno otimista que acredita no lado bom das pessoas. Curioso, louco, designer, filho, amigo, patinador de fim de semana, geek, amante de cinema, dorminhoco e aquele que vê sempre o lado cheio do copo.

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo