quarta-feira, 20 de julho de 2016

Lixo na baía de Guanabara é desafio para os Jogos, diz secretário


Para conter o lixo serão usados 12 ecobarcos e 17 ecobarreiras.O secretário de Meio Ambiente do Rio, André Corrêa, admitiu nesta quarta (20) que a presença de lixo flutuante na baía de Guanabara é um desafio para as regatas dos Jogos Olímpicos.
Para conter o lixo serão usados 12 ecobarcos e 17 ecobarreiras. O fato de a baía de Guanabara não ter sido despoluída para os Jogos é tido como um dos principais fracassos da Olimpíada em termos de legado.
O tratamento do esgoto lançado baía não avançou nem metade do prometido. Corrêa afirmou que a meta estabelecida pelo governo de despoluir 80% das águas até os Jogos foi "ousada".
Segundo ele, seriam necessários R$ 20 bilhões para executar os planos municipais de saneamento das cidades que circulam a baía, dinheiro que o Estado, em crise, não tem. A menos de um mês da Olimpíada, iatistas estrangeiros ainda reclamavam da sujeira da água da baía.
No entanto, Corrêa afirmou que está seguro de que a qualidade da água não causará problemas aos atletas. Segundo ele, as quatro raias de competição têm condições próprias para o banho porque, naquela área, há maior renovação das águas, em função da proximidade com o oceano.
A partir desta quarta, o Inea (Instituto Estadual do Ambiente) fará diariamente o monitoramento da qualidade da água da baía nos pontos onde haverá as regatas, até o término da Paraolimpíada. Com informações da Folhapress.


imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo