quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Google anuncia centro de computação em nuvem no Brasil

Na prática, isso pode significar vídeos que carregam mais rápido ou, no caso de lojas virtuais, maior velocidade para a aprovação de pagamentos, entre outros benefícios.O Google anunciou nesta quinta-feira (29) o lançamento de sua primeira infraestrutura para computação em nuvem no Brasil.
O complexo de servidores deverá começar a funcionar em 2017, no Estado de São Paulo -por razões de segurança, a empresa não informa o local exato.
Dedicado a armazenar remotamente informações e aplicações de outras empresas, a infraestrutura do Google chega após Amazon e Microsoft trazerem seus datacenters do gênero para o país, em 2011 e 2014, respectivamente.
A presença da nuvem do Google no Brasil pode trazer mais agilidade no tráfego de informações de empresas que atuam no país e usuárias do serviço em centros de computação em nuvem de outras regiões que optarem por migrar para cá, diz Fábio Andreotti, diretor de Google Cloud Plataform para a América Latina.
Na prática, isso pode significar vídeos que carregam mais rápido ou, no caso de lojas virtuais, maior velocidade para a aprovação de pagamentos, diz o executivo.O centro de computação do Google não armazenará informações de produtos da empresa destinados a consumidores finais (como Gmail ou contas de usuários), nem aplicações do próprio Google, como Waze e YouTube.
"O que foi feito no mercado de computação em nuvem até hoje não é nem 2% do potencial dele. Acreditamos que, até 2020, o Google será uma empresa mais de 'cloud' do que de buscas."
APLICATIVOS
Além de anunciar sua plataforma de nuvem no Brasil, o Google também apresentou inovações em sua plataforma Apps for Work (destinada ao mercado corporativo), que passa a se chamar agora G Suite.
Incorporando ferramentas de machine learning (aprendizado de máquinas), serviços da plataforma de softwares corporativos da empresa passam a "aprender" com o comportamento de seus usuários, com o objetivo de gerar aumento da produtividade, explica Alessandro Leal, diretor do G Suite Brasil.
Como exemplo, o aplicativo Inbox, para acesso ao Gmail, passa a aprender respostas comuns de seus usuários em diferentes ocasiões e, com isso, sugerir respostas automáticas personalizadas. Com informações da Folhapress.


imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo