sábado, 3 de setembro de 2016

Mãe de brasileiras mortas em Portugal ao suspeito: "genro querido"

Solange Santana chegou a conversar com o suspeito para pedir ajuda na tentativa de convencer a filha de não ir para Inglaterra; Ela ainda não sabia da morte das jovens Conversas trocadas entre a mãe das brasileiras mortas em Portugal e o principal suspeito do crime mostram que ela chegou a pedir ajuda ao criminoso para resolveu uma questão pessoal com uma das filhas, antes de tomar conhecimento da morte das jovens.
De acordo com o jornal Extra, Solange Santana Leite, de 50 anos, entrou em contato pelo WhatsApp com Dinai Gomes, de 28, após ficar seis dias sem receber notícias da filha, Michele Santana, também de 28.
Ela pediu ajuda a para Dinai para convencer a filha de não ir para Inglaterra e ainda fez elogios ao genro.“Dinai, preciso da sua ajuda. Tire essas ideias da cabeça de Michele, só posso contar com você e com Jesus. Você vai ser sempre o meu genro querido”, escreveu Solange. E ele responde: “Pode deixar, vou fazer o possível”.
As mensagens foram publicadas pelo jornal português “Sol”.O diálogo foi feito no dia 17 de fevereiro deste ano, quando as três vítimas já estavam mortas. No dia 18 de fevereiro,o suspeito ligou para Solange dizendo que tinha conversado com Michele em uma igreja evangélica e que ela iria mesmo viajar para Londres, na Inglaterra, mas que a filha ligaria assim que estivesse bem.
Ainda de acordo com o diálogo registrado, Dinai sustenta que a filha mais nova de Solange e a namorada dela (as outras duas vítimas do crime) estavam ilegalmente na Inglaterra e que Michele preferia não entrar em contato direto com a mãe porque estava com medo das meninas serem deportadas.
“Michele está com medo das meninas serem deportadas, por isso não quer aparecer agora. Não fala nisso pra muita gente, a senhora sabe como as pessoas falam demais. Não pense coisa ruim porque elas estão bem”, disse.

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo