terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Champanhe e imprensa: história, tradição e poder

Estava eu viajando pela Europa em busca de História, bons vinhos e comida, quando chego para visitar uma vinícola em Épernay, na região produtora de champanhe da França. Ao entrar no pequeno castelo da "Champanhe de Castellane", pouco me causou estranheza o museu sobre a famosa bebida e as características caves da região. Constava na expectativa.  
Mas, em um canto escondido do Museu do Champanhe, tinha outros elementos da História, que demorou em entender a presença, de tamanha a falta de uma relação direta, muitos equipamentos antigos de imprensa estavam ali expostos. Chamaram a atenção pela quantidade, idade e qualidade das peças.



Com o passar dos minutos, percebi que estava mais encantado com os equipamentos antigos de imprensa do que com a história do champanhe, quando fui convidado a iniciar um tour guiado pelas caves da Maison e perceber as práticas modernas e as mudanças ocorridas em centenas de ano de produção desses vinhos. História pura, por vezes relatada na imprensa, francesa e mundial.

Por um tempo pensei sobre as duas experiências, uma esperada e outra inusitada, até perceber a importância das duas para a nossa História, mesmo se tratando de  praticas tão distintas. Do acaso, fui promovendo reflexões sobre as áreas, que tanto me atraem e causam interesse.

Uma faz parte de atos e sonhos das elites e aspirantes, uma tradição francesa que se espalhou pelo mundo - quantas reuniões sociais e políticas mundo afora foram brindadas com champanhe? - e a outra, registra atos e fatos de todos, apesar de quase sempre reproduzir o pensamento dos poderes dominantes - quantos fatos importantes, aumentando ou diminuindo poder, foram relatados utilizando aqueles equipamentos de imprensa? - considerando a imprensa em um dos principais poderes sociais, em praticamente todas as sociedades modernas. 
Champanhe e imprensa, apesar das circunstâncias improváveis da união, ambas são História, uma contribui na construção e a outra participa, sendo a História, dos vencedores, contada aos seus modos e interesses. Quando se mantém as praticas e as tradições, a História fica mais longa. Os futuros das duas estão sendo construídos, sob o hedge da tradição e dos poderes instituídos, na França ou em qualquer outro lugar; o champanhe é apenas um elemento, já a imprensa, o elemento, parte do 'Quarto Poder'.
 
Por: Marcílio Souza Montagem:Das fotos Malu Silva - Para aproveitar a riqueza cultural
Malu Silva - Para aproveitar a riqueza culturalal
Montagem:Das fotos Malu Silva - Para aproveitar a riqueza cultural
Montagem:Das fotos Malu Silva - Para aproveitar a riqueza cultural
Montagem:Das fotos Malu Silva - Para aproveitar a riqueza cultural


imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo