terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Ela enfretou o Desafio da Estrada Para Cuidar do Pai

Elza da Silva Oliveira, 36 anos mais conhecida pelo apelido (Fofa), Paulista de
Osasco-SP, veio com a família para o Paraná e acompanhava seu pai em viagens no seu pequeno caminhão FORD ano 1961. Ainda criança sonhava ser caminhoneira. Elza que até hoje mora com os pais, senhor José Sebastião e D. Moralina e seus irmãos, que à ajuda a cuidar dos pais.
Seu José Sebastião era Rodoviário, e tinha um pequeno negócio de reciclagem no qual usava o seu Ford 61 para buscar sucatas pelo interior e Fofa o acompanhava, ajudando sempre nestas viagens. Ao completar 18 anos tirou logo sua (CNH) Carteira Nacional de Habilitação categoria C. Aos dezenove anos seu pai teve problemas de saúde e ela ficou tomando conta do caminhão e dos negócios. Quando o pai melhorou, ela arrumou outro caminhão, desta vez um Mercedes Benz modelo 1113, e foi com ele que quase perdeu a vida. “Estou viva por milagre de Deus”. – confidenciou.
Hoje ela conduz esta carreta da cia verde carta o Brasil  de norte a Sul
Após sobrevir um acidente de caminhão em que houve perca total ela disse: “Sobrou apenas eu pra dizer que Deus existe”. Eu estava sem cinto de segurança à porta se abriu eu caí fora da cabine. O Veículo passou voando por cima de mim, bateu contra uma árvore e quando me dei conta estava presa debaixo do caminhão. Tive hemorragias internas e só não morri porque não era meu dia. Após vinte dias hospitalizados em tratamento tive de voltar para estrada. Em 2009 meu irmão caçula comprou um FNM. Para quem não conhece é um caminhão Alfa Romeo ano (1961). Meu irmão decidiu cuidar do nosso pai e eu resolvi encarar o FNM e sair pra estrada em busca do sustento de casa, pois teria de pagar o próprio FNM, além dos meus tratamentos e do meu pai que também estava se recuperando de um AVC.
Saí com esse caminhão e só quem conhece sabe o quanto e difícil de guia-lo, mais a Bíblia diz “em tudo daí graças” não e mesmo? Deus preparou pessoas pra me ajudar e me ensinar a dirigir o FNM.  A cada situação embaraçosa Deus preparava alguém que pudesse me auxiliar. Quando eu saí de casa dirigindo o FNM, muitos falaram pra eu desistir; que o FNM iria ser minha ruína.  Ouvi “somente a voz que tinha no meu coração: minha família precisa de mim e eu só tenho esse caminhão”.
Vou compartilhar um testemunho e o prover de Deus
“Situação embaraçosa se não tivesse sido socorrida por anjos que o Senhor colocou em meu caminho. Saí de casa com destino á Transportadora Multilit em Curitiba pra carregar meu caminhão.Eu estava com pouco óleo diesel no tanque do caminhão e apenas com r$ 3,00 no bolso e pra carregar tinha que pagar o enlonamento (para colocar a lona), que tinha o custo de r$ 12,00 e eu não tinha, e nem onde arrumar aquele dinheiro.
Eu carrego comigo sempre a Bíblia. Sentada ao volante do meu possante sem saber o que fazer fui buscar na Bíblia resposta de Deus e ao abrir saiu no Livro de 2: Reis 3:4; e lá dizia: “ Vai e toma vasos emprestados”.
Lembrei-me de uma borracharia à frente. O borracheiro não me conhecia, mas era o único que poderia me emprestar aquela quantia. Fui até ele, que me emprestou r$ 15,00. “Com esse dinheiro paguei para cobrir a carga, comprei um pacote de bolachas e um litro de leite pra poder saciar a minha fome, pois não tinha jantado e nem almoçado”.
A empresa não fazia adiantamento do frete e eu sem dinheiro e óleo diesel. Foi passada a carga para um agenciador e o frete que era de r$ 900,00 caiu para r$ 600,00. Tive de abastecer com r$ 400,00 os pedágios consumiriam r$100,00. Tive de comprar uma das lanternas que estava quebrada por R$ 60,00. Moral da historia: tive de passar a viagem com apenas r$ 40,00 que foram usados para suprir  minha alimentação durante a viagem saindo de Curitiba com 5 entregas pra Londrina. Em tudo isso eu só tinha a fé num Deus que tudo pode.

Chegando à primeira entrega comecei a falar com Deus que passaríamos vergonha, pois eu não tinha mais dinheiro e meu caminhão não tinha mais diesel pra terminar as entregas em silêncio eu esperava o agir de Deus. Começaram descarregar e no meio da descarga o pessoal da outra entrega veio buscar a mercadoria deles onde eu estava e ainda me trouxe um dinheiro. Quando o caminhão estava vazio o dono do depósito que em eu estava descarregando me trouxe comida pra viagem. Mais dinheiro e óleo diesel pro meu caminhão. E sem abrir minha boca. Só Deus sabia minhas dificuldades.
Elza começou neste caminhão que era seu Pai
Naquele mesmo dia saí de Londrina (PR) e fui para Assis (SP), tentar puxar açúcar que tinha naquela região. Um senhor de idade e sua esposa me levaram numa das transportadoras e me indicaram o dono, pra que ele carregasse meu caminhão e me deixasse ficar por ali fazendo viagens, falaram que me conheciam ha anos, quando na verdade nunca tinham me visto. Fui carregar na usina de Borá (SP), para descarregar em Cambará do Sul (PR). Pela manhã eu cheguei a Assis (SP), pra manifestar nota e abastecer o caminhão. O rapaz da transportadora veio em minha direção.  Enquanto eu estava aguardando pra carregar eles tinham feito uma reunião e decidiram fazer uma ação entre amigos pra me ajudar.
Hoje trabalho na transportadora Cia verde logística, quem sabe um dia vou ter sorte dele ser achado pelo programa Lata Velha, do Luciano Huck, pra deixá-lo como deseja meu coração. Mas por enquanto sou grata a Deus por ter me dado um FNM que fez de mim uma profissional do volante. Já com quase vinte anos de experiência invejada por muitos. “Eu venci com ajuda de Deus e dos verdadeiros amigos, que Deus colocou no meu caminho”. Finalizou emocionada.

Por: Malu e Nilson Silva

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo