sexta-feira, 17 de março de 2017

DF puxa redução do desemprego no país




Dentre as 28 cidades pesquisadas, o DF ficou em 2º lugar na queda do desemprego, atrás apenas da capital paulista

Pela primeira vez em 2 anos, o Brasil contratou mais do que demitiu. Em fevereiro, foram criadas 35.612 vagas de trabalho, segundo a pesquisa feita pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Encabeçando a lista, São Paulo, Distrito Federal e Franca, respectivamente. Foram 35.612 postos formais de trabalho criados no mês passado.

 

Aqui, a diferença entre o número de vagas criadas e o de demissões teve  saldo positivo de 2.338 oportunidades, a maior parte na área de serviços. O Secretário Adjunto do Trabalho do DF, Thiago Jarjour, comemora o resultado que, segundo ele, reflete principalmente ações de qualificação e capacitação.

 

“Implementamos com o projeto Qualifica Mais Brasília um modelo de educação profissional que não se limita a inserir o trabalhador no mercado. Nosso objetivo vai além e busca mantê-lo no emprego. Com um funcionário mais produtivo e eficiente, evitamos uma alta rotatividade, que é ruim para a pessoa e oneroso para as empresas”, destaca o secretário.

 

Em 2016, o DF vinha crescendo na geração de empregos e chegou a registrar altas durante 4 meses consecutivos, na contramão do país que passava por um período de turbulência econômica. Ao mesmo tempo que o DF tem tomado iniciativas para o trabalhador, também criou-se instrumentos de fomentação ao empreendedorismo e, assim, mais emprego.

 

“Vivemos em um momento delicado da economia em escala nacional. É por isto que acreditamos na inteligência empreendedora para o bem da economia do DF. Também capacitamos empreendedores para evitar que sucumbam, saibam driblar as adversidades e ainda sim crescer. O PROSPERA-DF, que concede crédito a microempreendedores tem surtido ótimos efeitos, protegendo as empresas menores, abrindo vagas e, em alguns casos, permitindo que empregos informais nestes estabelecimentos se tornem efetivos”, completa Jarjour.

 

Demais cidades

Líder do ranking, São Paulo teve 4.649 novas vagas com carteira assinada, também impulsionadas pela área de serviços. Franca ficou atrás do DF com 2.223 admissões a mais. As outras que fazem parte das dez com saldo positivo estão Belo Horizonte (+883), Belém (+704), Curitiba (+696), Campo Grande (+605), Goiânia (+578), Fortaleza (+429), Boa Vista (+196) e João Pessoa (+72).

 

Do outro lado da lista, duas cidades pernambucanas ficaram na lanterna: Rio Formoso (-3724) e Sirinhaém (-2.633), ambas com forte resultado negativo do setor industrial. Na sequência, Maceió (-2.297), Salvador (-2.271), Rio de Janeiro (-1.781), São Luis (-1.641) e Manaus (-1.435).

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo