sexta-feira, 7 de abril de 2017

Dica: #Pratique o desapego

Roupas, sapatos, bolsas e acessórios sem uso e em bom estado encontram nos brechós o destino certo

 Um armário abarrotado de roupas, sapatos, bolsas e acessórios leva muitas mulheres à loucura... Sobre o que fazer com tantas peças sobrando. É aí que os brechós aparecem como uma solução para a maioria delas, que buscam esses locais para desapegar do que não tem mais serventia, além de tentar gerar algum lucro com a venda do produto usado.
“Semanalmente chegam bolsas de grifes caríssimas aqui na loja de fornecedoras querendo se desfazer porque compraram outras mais caras ainda. Como pagaram um valor alto pela peça preferem não doar, deixam aqui em sistema de consignação para obter metade do valor da venda. As mulheres realmente costumam ser muito consumistas, aí fazem ‘limpas’ no guarda-roupa. Vendem peças mais antigas para comprar novas. Vão, digamos, renovando os ciclos”, explica a empresária Yana Bastos, dona do brechó de luxo Choose Vintage, no Sudoeste (Brasília, DF).

Experiente, Yana está à frente da loja há 6 anos, e é criteriosa na hora de receber as peças de quem quer ‘desapegar’:
“Aconselho a levarem a roupa, sapato ou bolsa em um estado que a própria pessoa compraria, e não um descarte do guarda-roupa”, explica a dona da Choose Vintage.

Segundo especialistas em Psicologia, enquanto o ‘apego’ funciona como uma forma de lidar com a falta, sendo a busca por um preenchimento, o ‘desapego’ seria tarefa mais difícil, porque envolve se livrar do material e do sentimento empregado ao produto, além de estar disposto a fazer transformações, sejam sentimentais ou materiais.

Foto: reprodução/Instagram(crédito obrigatório) - Bolsas, segundo a empresária Yana Bastos, chegam semanalmente na Choose Vintage: renovando ciclos

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo