quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Horário de verão requer adaptação precoce. Confira as dicas

Diretora de escola infantil aponta principais impactos sentidos por estudantes

nos primeiros dias e orienta sobre como se acostumar mais facilmente
O próximo fim de semana será marcado pela chegada do horário de verão. Assim como os moradores de dez estados, o brasiliense também vai ter que adiantar o relógio, e os afazeres, em uma hora. Como não podia deixar de ser, o corpo e a mente sentem o impacto da mudança.

Os pequenos estudantes são afetados pelo horário de verão.
“Sabemos da economia gerada para o País, mas, para as crianças, o impacto inicial é inegável, atingindo não apenas as que estudam no turno matutino. Apesar de serem estas quem mais sente, também é comum que as que estudam no período vespertino apresentem sonolência e irritabilidade”, diz a diretora pedagógica da escola de Educação Infantil Ceav Jr., Silvana Emília.
O Distrito Federal, assim como boa parte do País, está em plena seca e com altas temperaturas. Para Silvana, esses fatores agravam o possível desconforto inicial.

“Este ano foi mais quente que o normal, com temperaturas superando os 30 graus, e ainda tem o fantasma da falta de água. Vamos todos nos acostumar, mas o desgaste é inegável”, alerta.
Outro aspecto que faz com que os pais devam ficar atentos à saúde das crianças com a chegada do horário de verão é o cansaço natural do período, tendo em vista que os estudantes já estão praticamente na reta final do ano letivo.
“O próprio fato de estarmos no segundo semestre, quando já estamos mais cansados, tende a ser outro fator que exije que os pais e professores sejam bastante cuidadosos com a saúde dos pequenos”, destaca Silvana. Esta próxima edição da medida termina no dia 17 de fevereiro de 2018.

 Dicas da diretora pedagógica do Ceav Jr., Silvana Emília, para amenizar o impacto da chegada do horário de verão
- Principalmente as crianças, que naturalmente já dormem muito, elas devem ir dormir mais cedo do que rotineiramente.
- Essa antecipação no horário do sono deve começar ainda nesta semana, não é recomendável esperar para a véspera da alteração no relógio. O quanto antes, melhor.

- As atividades do fim do dia precisam ser mais leves, não podem ser agitadas, para que favoreçam o adormecer das crianças.
- Comidas leves também contribuem por uma adaptação melhor, para não sobrecarregar o aparelho digestivo, o que compromete o sono e o bem-estar como um todo.
- Por último, consumir muita água e também sucos naturais, para hidratar. Isso ajuda em tudo no organismo.
Foto: divulgação/Ceav Jr.

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo