BSB: Editora Estrondo! lança publicações de artistas mulheres de Brasília

Nesta quinta-feira, 15 de outubro, às 17h, no Instagram @editoraestrondo acontece o lançamento de três fotolivros inéditos das artistas visuais Andresa Augstroze, Isabella Atayde e Lua Cavalcante. Editados e produzidos pela Editora Estrondo!, as publicações têm edição limitada a 100 exemplares cada, e estarão à venda pelo e-mail contato@estrondo.com.br e pelo Instagram da editora. Esta edição de publicações da Editora Estrondo! é patrocinada pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.

 A publicação dos fotolivros é resultado da convocatória realizada pela editora que selecionou 10 projetos de artistas mulheres que têm na fotografia sua principal linguagem. Os trabalhos foram selecionados por meio de um júri formado pela curadora independente Cinara Barbosa (Brasília-DF) e a fotógrafa Elza Lima (Belém – PA). Cada projeto recebeu um prêmio em pecúnia de R$ 1.000,00 (um mil reais). Os exemplares serão vendidos a preço único de R$35,00. Os três primeiros livros editados e publicados pala casa editorial dedicada à publicação de autoras mulheres foram lançados em março de 2020. Até o final do ano, os próximos quatro projetos serão apresentados ao público.

Sobre as publicações e as artistas

Carto-Tipo(Grafias) da Transgressão | De Andresa Augstroze

Carto-Tipo(Grafias) da Transgressão é um trabalho de fotografia e viagem em que a linguagem visual ocupa um lugar híbrido, possibilitando o questionamento dos limites e das divisas. Através da incorporação da escrita e da palavra, a tensão entre elementos provoca um pensamento de transgressões, em que a confrontação e o diálogo são necessários frente a fronteiras que devem ser habitadas. 

Andresa Augstroze, nasceu em Volta Redonda (RJ), 1998, e vive e trabalha em Brasília. Em sua produção, a artista se utiliza principalmente da fotografia, da instalação, do vídeo e da escrita, explorando as inespecificidades dos meios e as transversalidades entre a imagem e a palavra. Através do nomadismo intenso, busca os desdobramentos das linguagens do viajante. Andresa é estudante de Artes Visuais na Universidade de Brasília (UnB) e já realizou pesquisas em conjunto com o LEME (Laboratório Experimental de Materiais Expressivos), visando a eco produção. Participou de exposições coletivas como a Galeria Sem Muros (Concha Acústica, UnB, 2018) e Ocupatória (CAL – Casa e Cultura da América Latina, 2018).

Relação-Ruína | De Isabella Atayde

Relação-ruína vasculha caminhos percorridos e constrói-se a partir da ligação com o outro. É a busca incessante de preencher o vazio das reciprocidades. É confiar a base da existência na interação e colocar-se inteira face a algo de igual ou estranha natureza. Relação-ruína é processo, silêncio e movimento, me desloca e me devolve ao meu lugar.

Isabella Atayde é relações públicas, produtora cultural, mestre em Gestão Cultural e Políticas Culturais. Mas também poeta, tradutora, fotógrafa, viageira, sambista, brincante, angoleira. Atua desde 2012 em projetos de consultoria para promoção/difusão do Patrimônio Cultural Brasileiro. Coordenou o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade e fez a produção editorial de diversas publicações do IPHAN/Unesco. Em 2014 fundou o coletivo Etcetera.arte, focado em arte e design, colaboração, produção e difusão de artistas independentes. Em 2017 se joga no sertão mineiro, lançando o CineBaru - Mostra Sagarana de Cinema, onde é produtora executiva e uma das curadoras.

Boca d’alma | De Lua Cavalcante

Boca d'alma é um encontro com o eu mais profundo.  É uma conversa, um trato, sobre se permitir viver, sobre honrar as cicatrizes e escolher quais caminhos se quer trilhar.

Lua Cavalcante é educadora, artista e aleijada. Lua é tudo o que cabe em seu corpo e também é impulso para que caiba o infinito. Lua é tecnóloga em Fotografia, foi Orientadora de Público no IMS Paulista e educadora coordenadora do Grupo de Trabalho Acessibilidade do Ja.Ca Center, atuando no CCBB Brasília. No momento Lua está concluindo a formação em Pedagogia e se aventura pelos caminhos sagrados da Pedagogia Griô. Sua linguagem artística é a produção de experimentações em autorretrato, desenvolvendo investigações sobre as particularidades de seu corpo, um corpo lido sob o aspecto da deficiência. Lua se coloca como corpo-artístico-político a fim de trazer reflexões sobre quais lugares reais e imaginários esse corpo pode habitar. 

Uma editora para mulheres artistas

Criada em 2018 pela fotógrafa e cientista social Michelle Bastos, em Brasília/DF, a Editora Estrondo é a primeira editora brasileira de fotolivros dedicada a publicar obras de artistas mulheres. A necessidade se deu pela subpublicação evidente de mulheres na área de fotolivros, assim como a representação em galerias, museus e festivais de fotografia. Apesar de estarmos no século XXI, a presença masculina ainda é majoritária e algumas vezes exclusiva nesses campos, inclusive em júris de concursos de fotografia e curadoria para exposições. Mais que uma editora que publica mulheres, Estrondo ocupa um lugar de fazer, pensar e refletir a imagem contemporânea, colocando nem prática um conhecido discurso, que é necessário, mas implementado ainda com superficialidade, que as mulheres podem e devem ocupar todas as esferas do fazer humano. Em março, a Editora Estrondo lançou em março de 2020 os fotolivros “Ariar”, de Amanda Carneiro; "Brasília Pequena", de Bete Coutinho; e "Vírgula" de Júlia Godoy. Alguns exemplares ainda estão disponíveis para venda pelo e-mail e o Instagram da editora. Até o fim deste ano, quatro novos títulos serão lançados.

Serviço:

Editora Estrondo!

Lançamento dos Fotolivros das artistas Andresa Augstroze, Isabella Atayde e Lua Cavalcante

Preço | R$35,00

Quando | 15 de outubro, quinta-feira

Horário | às 17h

Local | Instagram @editoraestrondo

Contato | contato@estrondo.com.br


 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante!

© Blog da MaluTodos os direitos reservados.
imagem-logo