Tempestade de neve atinge EUA, promove caos em NY e deixa 8 mortos

CLIMA
A maioria das mortes está relacionada aos acidentes de trânsito, causados pela neve que invadiu as estradas

Uma forte tempestade de neve que ronda a região leste dos Estados Unidos há alguns dias deixou, por enquanto, oito mortos em alguns estados norte-americanos, promovendo um verdadeiro caos, com milhares de voos atrasados e cancelados nos aeroportos e acidentes de trânsito registrados. A precipitação foi tão intensa que até energia elétrica faltou para, pelo menos, 200 mil pessoas, em quatro Estados, segundo o site Poweroutage.

A forte nevasca, que começou na região Centro-Oeste e, nos últimos dois dias, atingiu em cheio a Costa Leste dos EUA, complicou a direção nas ruas e estradas, sendo a causa principal das mortes.
De acordo com a emissora CNN, uma mulher de 60 anos morreu na última quinta-feira (15) em Miami County, no Estado de Indiana, depois de perder o controle do veículo por causa da pista lisa e escorregadia. No Mississippi, um ônibus de turismo sofreu um acidente na quarta-feira (14) matando duas pessoas e ferindo várias outras. A causa do acidente foi relacionada ao clima.

A Polícia Rodoviária do Arkansas relatou dois incidentes separados em que três pessoas foram mortas após perderam o controle de seus carros nas estradas congeladas. O total de oito mortes se completa, com mais dois registros, em Ohio e, em Maryland.

Pesadelo em NY e Nova Jersey

O pânico por causa da neve acumulada foi traduzido pela espera angustiada de motoristas, que ficaram presos na Ponte George Washington, que liga a parte alta da ilha de Manhattan e o norte de Nova Jersey, cidade vizinha de Nova York. A Polícia Estadual de Nova Jersey respondeu a 555 acidentes automotivos e ajudou mais de mil motoristas, segundo as autoridades.

“Se você não tem que sair, por favor, fique em casa para que as equipes possam cuidar das estradas”, dizia um comunicado da polícia. “Se você tiver que sair, por favor, dirija devagar e permita mais tempo para chegar onde você está indo.”

Voos

A Newark Liberty International foi a companhia mais afetada, com mais de 470 cancelamentos e 340 atrasos nos voos. No aeroporto de Newark, um dos mais frequentados da região, era possível ver filas nos terminais, com pessoas esperando pelas definições de seus voos e reajustes de horários.

Em Nova York, o clima forçou longas esperas, também, no Terminal Rodoviário de Port Authority, em Manhattan. O local, que fica perto do fervor da Times Square, estava lotado de passageiros frustrados. As viagens de ônibus pela cidade podiam durar até quatro horas por causa do trânsito e a visibilidade das ruas afetada pelo mau tempo.


O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que a força da tempestade de neve pegou a cidade de surpresa e que não deveria ter o impacto que teve. “Estamos conduzindo uma análise completa da preparação e resposta à tempestade. Analisaremos como nos coordenamos com as agências estaduais e comunidades locais, como nos preparamos para as previsões meteorológicas, que mudam rapidamente e, o mais importante de tudo, como manteremos os moradores de Nova Jersey seguros”, disse o governador.

Com pedido de exoneração de Moro, TRF4 abre processo para substituto

Cargo de titular da 13ª Vara Federal de Curitiba poderá ser disputado por 232 magistrados. Antiguidade é critério de escolha para o cargo.

Alçado a superministro da Justiça e Segurança Pública do governo de Jair Bolsonaro, o juiz Sérgio Moro pediu exoneração do cargo de titular da 13ª Vara Federal de Curitiba na sexta-feira (16/11). A partir de segunda (19), quando o desligamento do magistrado passar a valer, o Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª região deverá abrir o processo seletivo para o novo ocupante do cargo. Atualmente, 232 juízes estão aptos a assumir a vara responsável pelos processos da Lava Jato. Veja aqui a lista completa dos profissionais.

O concurso de remoção é o processo de seleção interno para os magistrados da 4ª Região (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), de onde virá o substituto de Sérgio moro. As normas estabelecidas pela Resolução nº 32/2007 e pela Lei Orgânica da Magistratura definem as regras sobre as trocas dos profissionais.

Os juízes federais com intenção de concorrer à vaga terão 10 dias para se manifestar e até 3 dias para desistir. A seleção deve durar um mês e o primeiro critério para escolha é o de antiguidade. Ou seja, juízes que ocupam cargo no TRF4 há mais tempo têm a preferência. Em seguida, são levadas em conta a antiguidade no exercício do posto de juiz substituto do TR4 e, ainda, a classificação no concurso público.

Até lá, os processos da Lava Jato ficarão a cargo da juíza substituta Gabriela Hardt. Ela, inclusive, interrogou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do sítio de Atibaia, processo em que o líder petista responde por lavagem de dinheiro e corrupção ativa.

“Pelo potencial político e visibilidade, esta é uma das varas mais concorridas do Brasil. Claro que nem todo mundo gosta de holofote, mas vai ser um processo intenso, principalmente para atuar num dos problemas maiores do Brasil, que é a corrupção”, avalia o advogado Carter Batista, sócio da Osório Batista Advogado. Segundo o especialista, a 13ª Vara Federal passou de uma “vara comum”, como tantas outras, para um lugar desejado. “O Moro passou de mais um para o maior juiz do Brasil. Esse posto deve ser bastante disputado”, acrescenta Carter.

Antiguidade

Pelo critério de antiguidade, e se desejar assumir o cargo, o juiz Luiz Antônio Bonat seria o substituto natural de Moro. Atualmente, ele atua na 21ª Vara Federal de Curitiba, que tem como competência cuidar de benefícios assistenciais e por incapacidade e também assuntos previdenciários.

Bonat nasceu em Curitiba e graduou-se em direto em 1979, pela Faculdade de Direito de Curitiba. Ele foi empossado como magistrado do TRF4 em setembro de 1994, assumindo o posto no ano seguinte. Ele já exerceu jurisdição na 1ª Vara Federal de Foz do Iguaçu; na 3ª Vara Criminal Federal de Curitiba e na 1ª Vara Federal de Criciúma. Especialista em direito público pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Bonat é coautor do livro Importação e Exportação no Direito Brasileiro.

O juiz compôs a 5ª Turma do Tribunal, especializada em Direito Previdenciário e Assistência Social, onde atuou ao lado de Rogério Favreto, desembargador federal que, em regime de plantão, concedeu liminar em habeas corpus impetrado em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Caso Bonat não queira ocupar o cargo de Moro, a lista é sucedida pela juíza Taís Schilling Ferraz, atualmente na 24ª Vara Federal de Porto Alegre, responsável por assuntos de Sistema Financeiro da Habitação.

Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1991, Taís Ferraz foi juíza auxiliar da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), entre 2008 e 2009, nas gestões da ministra Ellen Gracie e do ministro Gilmar Mendes.

No currículo também carrega o cargo de diretora da Escola Superior da Magistratura Federal do Rio Grande do Sul (Esmafe) e do Foro da seção judiciária do Estado do Rio Grande do Sul. Ela já integrou o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) na Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) e na Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp). É autora do livro O Precedente na Jurisdição Constitucional.

O terceiro nome na lista é o do juiz Marcelo de Nardi, integrante da 9ª Vara Federal de Porto Alegre. A jurisdição cuida de Assuntos Ambientais, Agrários e Residuais. O magistrado é professor de direito internacional privado, na UFRGS e na ESMAFE/RS. Acumula o título de doutor em direito privado e especialista em direito internacional e da integração pela UFRGS. Ele já integrou delegações brasileiras junto à Organização dos Estados Americanos (OEA) e à Conferência de Haia de Direito Internacional Privado.

Tanto Luiz Anônio Bonat como Marcelo De Nardi foram aprovados no mesmo certame, o 3º concurso para juiz federal substituto. Nessa mesma lista de aprovação, constam Leandro Paulsen e João Pedro Gebran Neto, desembargadores da 8ª Turma do TRF4 responsáveis pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na segunda instância no caso do triplex do Guarujá.
 Fonte Metróples












Ibaneis diz que tratará pessoalmente da escolha de administradores

Governador eleito acredita que em até 120 dias a população já tenha os gestores de cada cidade.

Algumas cidades estão se organizando para entregar ao governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) uma lista tríplice destinada à escolha dos administradores regionais. O futuro chefe do Palácio do Buriti disse que, por ser um assunto que precisa de atenção especial, não pretende criar um núcleo específico no processo de transição.

“Vou cuidar pessoalmente do assunto a partir da próxima semana. Eu mesmo vou escolher quem vai administrar cada cidade, após conversar com todos os partidos e representantes das regiões”, explicou nesta sexta-feira (16/11).

Ibaneis acredita que o prazo de 90 a 120 dias é suficiente para que a população tenha os administradores de cada cidade escolhidos por meio de lista tríplice. “Vamos analisar cada administração, pois há umas que são menores, outras maiores e que têm mais problemas”, disse.

Ceilândia
Líderes comunitários de Ceilândia têm organizado reuniões e sabatinas com os pré-candidatos ao cargo. O primeiro encontro ocorreu no último sábado (10/11), no auditório da administração, com a presença de 61 pessoas.

Ao todo, seis pré-concorrentes foram sabatinados: Divino Rosa de Araújo; Aderval Andrade; Paulo Florentino da Silveira; Marcos Antônio Sousa; Rubens Estêvão Gomes; e Carlos Alexandre do Prado. Áureo Costa; Goudim Carneiro; Edson da Codhab; e Tia Joana, que também pretendem disputar o posto, estavam fora da cidade e não participaram do evento.

Nos bastidores, um dos nomes mais cotados é o do coordenador da Regional de Ensino de Ceilândia, Marcos Antônio de Sousa, principalmente por servidores da educação. Outro nome que chegou a circular é o de Renato Santana (PSD), atual vice-governador do DF.
Fonte: Metropoles









Motorista bêbado que causou morte de bebê em acidente saiu de choperia com destino a outro bar, diz PM

Homem de 27 anos estava embriagado, segundo a polícia, e teve prisão decretada. Ele confessou após acidente na SP-333 que estava em bar, em Tarumã, e iria para outro, em Assis. Bebê morreu com traumatismo craniano.

O motorista bêbado que causou um grave acidente que terminou com a morte de um bebê na madrugada desta quinta-feira (15), na Rodovia Miguel Jubran (SP-333), admitiu à polícia que estava em uma choperia em Tarumã (SP) e estava a caminho de outro bar, em Assis. Além do bebê que morreu, outras três pessoas ficaram feridas na batida.

Segundo a Polícia Rodoviária, Wesley Alves de Souza, de 27 anos, que teve a embriaguez atestada por um médico legista, atingiu a traseira do carro de uma família de Apucarana (PR), que seguia na SP-333 com sentido a São Paulo. O carro capotou várias vezes.
Dentro do veículo estavam motorista, sua esposa, a menina de três meses – que estava na cadeirinha – e um amigo da família. O bebê teve um traumatismo craniano, foi socorrido e encaminhado para o Hospital Regional de Assis, mas não resistiu aos ferimentos.

Os pais da criança tiveram ferimentos leves, enquanto o outro passageiro foi socorrido com ferimentos mais graves. Esse último é amigo da família e segue em observação na UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) de Assis.
Segundo os policiais rodoviários que atenderam a ocorrência, Wesley admitiu ter bebido cerveja em uma choperia em Tarumã, onde mora, e que estava na estrada se dirigindo a um outro bar, na cidade de Assis.
Wesley de Souza foi encaminhado para a CPJ (Central de Polícia de Judiciária) de Assis, onde foi indiciado por lesão corporal, embriaguez ao volante e homicídio.

Durante audiência de custódia nesta quinta-feira, a Justiça determinou sua prisão temporária, por 30 dias. Ele foi encaminhado para a Cadeia de Lutécia. Procurada pelo G1, a família do suspeito não soube informar o contato do advogado de defesa.
Fonte: G1 SP

Pai relata momentos de 'terror' ao ver filha de 2 anos ser sequestrada n...

 Novo quadro do meu canal, notícia do dia! comenta lá 

Pai relata momentos de 'terror' ao ver filha de 2 anos ser sequestrada no DF




Inocentado, homem torturado na prisão processa Magno Malta

O presidente eleito Jair Bolsonaro toma café da manhã hoje (16) com o comandante da Marinha

O presidente eleito Jair Bolsonaro durante visita ao
Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília. - AFP
O presidente eleito Jair Bolsonaro toma café da manhã hoje (16) com o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar, no 1º Distrito Naval, no centro do Rio de Janeiro.

Ele chegou por volta das 8h30.
Bolsonaro ainda não definiu nomes para os comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.
Por enquanto, o presidente eleito divulgou dois nomes de militares para seu governo, um para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e outro para o Ministério da Defesa.

O general da reserva Augusto Heleno que assumirá o GSI, vinculado à Presidência da República. O general Fernando Azevedo e Silva, que atuou como assessor do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, ficará com a Defesa.

Pai relata momentos de 'terror' ao ver filha de 2 anos ser sequestrada no DF

Ele estava no carro com os criminosos, mas se jogou na pista para pedir ajuda. Criança foi resgatada 'em estado de choque' e três suspeitos foram detidos.

Por G1 DF e TV Globo

O pai de uma menina de 2 anos sequestrada em Samabaia, no Distrito Federal, na noite desta quarta-feira (14) disse ter vivido momentos de "terror" ao ver a filha ser levada pelos criminosos (veja vídeo abaixo).

Os dois estavam no mesmo carro, uma caminhonete cabine dupla, mas o homem se jogou na pista para tentar pedir ajuda – a criança foi resgatada em "estado de choque", segundo a Polícia Militar. O pai conversou com a reportagem, mas não quis se identificar.

"Foi um terror. O pior momento da minha vida, que eu acho que não queria nem estar vivo pra passar por isso, ver eles esticando com o carro e ela lá dentro."

Menina de 2 anos que foi sequestrada junto com o pai em Samambaia, no Distrito Federal.
A família se preparava para viajar no feriado quando foi abordada por um homem armado próximo à casa de uma tia da menina. "O cara abriu a porta [da caminhonete], e pediu pra eu chegar pro lado do passageiro."

"Ele perguntou se eu tinha dinheiro e eu falei que não. Eu disse: 'Cara, deixa eu descer com a criança, porque aí você fica à vontade'. Tentei negociar de todas as formas e muito calmo, com a neném grudada no meu pescoço."

"Ele dirigia com uma mão e, com a outra, apontava a arma pra mim."
Então, segundo o relato do pai, o sequestrador reduziu a velocidade, "como se estivesse procurando um endereço". Quando chegou à quadra 403, ainda em Samambaia, outros quatro homens entraram na caminhonete.

"Foi quando eu me apavorei e pensei: 'Agora eu tô morto, minha vida acabou'. Já puxaram a minha filha do meu pescoço e botaram no colo. Pra mim, foi o fim."

A reação imediata do pai foi "avançar" sobre o motorista, na tentativa de desarmá-lo. "Estava quase conseguindo, quando o outro veio por trás, me deu um mata leão, e começaram as coronhadas na cabeça e na região do tórax. Eu sei que apaguei."

"Quando eu voltei, já estava no banco de trás e olhei pra minha filha no colo de um elemento. Ele falou: 'Se tu olhar pra mim, ela morre', com a arma na cabeça dela."
Desesperado, o pai disse à reportagem que aproveitou um momento de baixa velocidade da caminhonete para se jogar na pista. "Na hora que ele passou o quebra mola, que tentou retornar, foi a hora que eu dei um sopapo e me joguei."
Um carro da polícia estava logo atrás, fazendo monitoramento de rotina e, diante da cena inesperada, começou a perseguição. A criança foi resgatada na quadra 621, onde os criminosos abandonaram a caminhonete depois de bater o carro.

Segundo a Polícia Militar, eles dirigiram de forma "tão perigosa" que o reboque onde havia um jetsky perdeu uma das rodas. Um carro da PM capotou durante a peseguição.

Os sequestradores fugiram correndo para um matagal, mas três deles foram encontrados 7 horas depois, em outro carro, no Recanto das Emas. Eles trocaram tiros com os policiais, mas acabaram detidos.
Um assaltante de 21 anos, reconhecido como o homem que abordou o pai da criança, ficou ferido e foi levado ao Hospital Regional de Taguatinga.
Outro suspeito, de 20 anos, foi identificado como o criminoso que ameaçou atirar na bebê. Um adolescente de 15 anos também foi identificado e levado à Delegacia da Criança e Adolescente.

Câmara dos Deputados homenageia profissionais de Coaching

Febracis, maior instituição de Coaching da América Latina recebe honraria por transformar mais de 400 mil vidas no Brasil e no mundo por meio do Coaching Integral Sistêmico

 Na semana em que a capital federal receberá o maior treinamento de inteligência emocional da América Latina – o Método CIS, a Câmara dos Deputados realizou Sessão Solene nesta quarta-feira (14) para homenagear os profissionais de Coaching do Brasil. Entre os agraciados, esteve Luiz Paulo Machado, diretor executivo da Febracis Brasília e Goiânia, no qual representou o presidente da Febracis, PhD em Coaching, Paulo Vieira.

O presidente da Sessão Solene e autor do requerimento, deputado federal Professor Pacco (PODEMOS-DF), comentou que o Coaching é um propósito de vida, e que esta atividade é “meritória e se faz essencial no mundo pós-moderno. São pessoas que transformam vidas de outras pessoas”, disse.

Em seu discurso, Luiz Paulo Machado, destacou que essa data é muito especial, por ser alusiva ao dia alusivo do Profissional de Coaching comemorado no último dia 12 de novembro, e também pela atuação de uma carreira inovadora e que tem transformado vidas pelo Brasil e pelo mundo.

“Essa atividade tem se consagrado por transformar vidas e negócios, e uma das frentes de atuação é o Coaching Integral Sistêmico, uma metodologia que leva o aluno (coachee) a um estilo de vida abundante. Empresários, executivos ou gestores buscam capacitação para gerar resultados, aumentar a eficiência ou a alta produtividade. Já outros, buscam para uma mudança pessoal”.

O executivo comentou que a tecnologia criada pela Febracis já impactou mais de 400 mil pessoas pelo mundo e já está sendo desenvolvida há mais de 20 anos.

“Nossa missão como Coaches é levar mudança e transformação para milhares de vidas e famílias e também para nosso país, rico em conhecimento e de pessoas do bem. Temos uma visão extraordinária de fazer dessa profissão algo ainda maior, com ética, autorresponsabilidade, integridade, ação, excelência e paixão pelas pessoas. Em 2018, tivemos a honra de capacitar e formar mais de 80 profissionais da segurança pública como os novos Coaches Integrais Sistêmicos, uma vitória para toda a sociedade. E também temos apoiado mais de 80 instituições sociais no DF e entorno pelo projeto Coaching Social com doações de toneladas de alimentos”.

 Método CIS 197

Entre os dias 16 e 18 de novembro será realizada em Brasília a edição 197 do Método CIS, no Centro Internacional de Convenções de Brasília. O treinamento acontece entre os dias 16 e 18 de novembro, oferecendo técnicas, ferramentas e conhecimentos científicos que ajudam as pessoas a desenvolverem sua inteligência emocional. As 3.600 vagas já estão esgotadas.

O curso tem uma metodologia fundamentada no Mapa de Autoavaliação Sistêmico, no qual se mede a qualidade e a plenitude da vida com base nos valores individuais. Diversos benefícios serão alcançados nessa imersão, tais como: eliminação da autossabotagem, reprogramação de crenças limitantes, equilíbrio nos principais pilares da vida (espiritual, parentes, conjugal, filhos, social, saúde, servir, intelectual, financeiro, profissional e emocional).








Inocentado, homem torturado na prisão processa Magno Malta


Ele passou nove meses no CDPC (Centro de Detenção Provisória de Cariacica), que usava contêineres como cela, situação anos depois classificada como desumana pelo STJ

Luiz Alves de Lima, 45, quase não consegue ler o processo que move contra o senador Magno Malta (PR-ES). Perdeu toda a vista no olho direito, e na do esquerdo lhe restou uns 25%. Usa uma lupa.

Ele conta que a visão se foi de tanto apanhar na prisão, em 2009. Mostra os dentes: um deles é só um cotoco, pois, diz, "pegaram o alicate e foram apertando até estourar".

Luiz era cobrador de ônibus. Numa tarde de abril, Cleonice Conceição, 32, a mulher por quem se apaixonou num terminal, levou a filha deles de dois anos ao médico. Ele foi ficando preocupado, pois já era noite e nada delas.

"Aí chegou a polícia e pensei o pior, que tinha acontecido um acidente", conta. Mas não: colocaram-no numa viatura, sob acusação de estuprar a filha, com a esposa cúmplice do crime.

No terceiro dia de detenção, o senador chegou "com um batalhão de gente", imprensa inclusa, e assumiu o papel de "juiz, promotor, delegado", diz Lima. Em seu relatório, o delegado do caso atestou: Malta "manifestou-me que, por sentimento pessoal e experiência profissional, entende ser o pai da criança o autor do delito".

Ele passou nove meses no CDPC (Centro de Detenção Provisória de Cariacica), que usava contêineres como cela, situação anos depois classificada como desumana pelo Superior Tribunal de Justiça.

Diz ter sido torturado por mascarados que se revezavam no "quadrado com banheirinho" onde ficava. "Passei o aniversário num tonel cheio de gelo, botaram minha mão pra trás."

Uma notícia-crime assinada por Luiz e recebida em setembro de 2018 pelo Ministério Público Federal capixaba responsabiliza agentes do CDPC por sessões de tortura que teriam incluído "sacola na cabeça e choques".

À reportagem, no escritório de seu advogado, ele afirma que não saberia identificar os algozes. O que diz com confiança é que talvez nada daquilo tivesse acontecido se não fosse pelo "circo" montado por Malta, um dos principais aliados do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e cotado para um ministério na área social.

O baiano que fez carreira no Espírito Santo presidia a CPI da Pedofilia em 2009.
No mesmo mês em que Luiz foi preso, o senador prometeu no plenário que "os pedófilos desgraçados" estavam com "os dias contados".

Inocentado em todas as instâncias da Justiça, o ex-cobrador de ônibus, que ficou incapacitado após a cegueira parcial, processa o senador, o estado e o médico responsável pelo laudo que o colocou na posição de suspeito.

Franz Simon atuou como defensor público de Luiz numa das frentes do estado contra ele, que corria na Vara da Violência Doméstica (pela suposta agressão à filha). Cleonice levara a criança ao hospital para tratar de oxiúro, verme que pode provocar coceira na região genital, por inflamação.

A família, na época, morava numa casa "com 17 cachorros, um monte de gatos, o quintal sujo e uma irmã que guardava lixo [era acumuladora]", lembra Luiz, que tem mais dois filhos com Cleonice e um rapaz e duas meninas com outra mulher.

Uma médica desconfiou de violência sexual e chamou o Conselho Tutelar. Um médico legista, então, avaliou o "desvirginamento da vítima", e o caso acabou na Polícia Civil.

Posteriormente, uma perita examinou a criança e constatou que o hímen estava intacto. À Justiça o responsável pelo primeiro parecer depois alegaria que o hímen pode se regenerar. Hoje defensor aposentado, Franz questiona: o caso já é frágil e "vai acontecer justamente com ela, uma coisa rara na literatura médica?".

"Houve um teatro", segundo Franz. O depoimento de Luiz, diz, "foi atrasado até que aparato da CPI chegasse, ele acabou sendo o bode expiatório".
Luiz afirma que não foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, o que deve anteceder a condução de um suspeito à prisão, como manda o protocolo.

Cleonice conta que ficou 42 dias presa e que, na cadeia, recebeu uma visita do congressista.
"Quando cheguei no presídio, tentei falar para a polícia que tinha vários papéis da neném pra mostrar que ela tava com oxiúro. O Magno falou que, se não acusasse Luiz, nunca mais ia ver minha filha. No momento de desespero cheguei a acusar ele, sim."

Uma reportagem de um jornal local relatou à época que a servidora pública municipal "disse que já viu o marido visitando sites suspeitos na internet". Luiz até hoje carrega o CPU do computador periciado atrás de pornografia.
A bebê passou três meses num abrigo, de onde saiu "com a cabeça cheia de pereba, de piolho", afirma o pai. 

Os pais depois ficaram sabendo que a filha iria para a adoção -o que só não se concretizou porque, segundo Luiz, a mãe da esposa "vendeu tudo o que tinha, geladeira, casa, fogão, por R$ 10 mil e veio da Bahia, a avó Madalena.".

A Justiça já inocentou Luiz em todas as instâncias, mas o casal passou anos sem a guarda da filha. A menina chegou a dizer a uma psicóloga temer que o pai, ausente de sua vida, não gostasse dela. Ainda hoje Luiz e Cleonice não têm a guarda definitiva da primogênita deles, só a provisória.
Em setembro, quando concorria à reeleição num pleito do qual sairia derrotado, Malta gravou um vídeo afirmando que, "na CPI da Pedofilia, vagabundo, nós perseguimos".

No mesmo mês, o Ministério Público recepcionava a notícia-crime contra ele. "Agora, vagabundo ofendido correu para a Justiça. É direito de cada um, não é verdade?"
Hoje a filha de Luiz e Cleonice tem 12 anos e ainda não mora com eles –espera o ano letivo acabar para, em 2019, começar na mesma escola dos irmãos. "Ela ainda tá com vozinha dela", conta a mãe.

O pai diz que a filha "gosta de dançar e cantar negócios de adolescente".
Sobretudo BTS, uma boy band de k-pop (pop coreano) com integrantes de cabelos coloridos, esclarece Cleonice.
"Ela tá bem, mas bem entre aspas. Ninguém fica 100% bem sem os pais".

OUTRO LADO
A assessoria de imprensa do senador diz que ele não cita nomes no vídeo divulgado durante a campanha, então não seria possível inferir que ele falava de Luiz.
Malta afirma que, há nove anos, esteve na delegacia ao lado de um delegado "capaz e digno".

"Afirmei na época o que tenho dito: pedófilos devem ser investigados, condenados e presos. Pedofilia é crime hediondo. Quanto às denúncias de espancamento e outras ilegalidades, devem ser apuradas, e seus autores, apontados pelo acusado."

Diz que ainda não foi citado pela Justiça, mas está "à disposição para qualquer esclarecimento".
Em nota, a Procuradoria-Geral do Espírito Santo, estado processado por Luiz pela tortura que ele diz ter sofrido enquanto preso, "informa que o referido processo continua em tramitação e aguarda a decisão da Justiça para se manifestar". Com informações da Folhapress.

Publicidade - Blog da Malu




© Blog da MaluTodos os direitos reservados.
imagem-logo