Detran do Distrito Federal começa a emitir documento digital de carro

Denominado CRVL-e (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo Eletrônico), a versão eletrônica estará disponível para carros licenciados no estado já em agosto e terá a mesma validade jurídica do documento físico

Neste mês de agosto, o novo Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo Eletrônico (CRVL-e) começa a ser oferecido dentro do aplicativo da CNH digital. A aplicação do novo serviço está prevista para ocorrer nos próximos dias aos proprietários de veículos registrados no Distrito Federal. Com isso, os motoristas poderão passar a usar o código na parte interna do documento, permitindo sua leitura com a câmera de um smartphone de forma fácil e acessível, evitando fraudes.

Sua autenticidade poderá ser comprovada pela assinatura via certificado digital do emissor ou via leitura QR Code. A Soluti, empresa especializada em segurança e Certificação Digital, desenvolveu uma solução que serve de apoio para a nova tecnologia, o S.DNA. A ferramenta tem como característica reunir informações pertencentes a um indivíduo, empresa ou produto através de um Certificado de Atributo que reúne as informações do usuário via autenticação.  Também possui um recurso de comunicação de dados, compilando informações sobre um determinado usuário ou empresa para acesso à terceiros, via QR Code.

O que muda para motoristas e agentes de trânsito?

No caso dos motoristas, poderão apresentar o CRVL-e por meio do smartphone. Ou seja, se esquecerem o documento em casa, basta apresentar o digital para não ser multado. No caso dos agentes, poderão consultar os dados do motorista por meio de um aplicativo de celular que funcionará mediante leitura do QR Code.

Funcionalidades da CNH-e

A CNH-e armazena todas as informações da carteira impressa, garantindo a autenticidade do documento e tem como principais vantagens a praticidade, segurança e comodidade para o condutor. Detalhe: o valor jurídico é o mesmo do documento impresso. Lucas Vieira, Gerente de Produtos da Soluti, lembra que o processo de emissão da CNH-e é posterior ao da emissão da carteira física. “Você precisa passar por todo o processo de emissão da carteira física, para depois solicitar a emissão da versão eletrônica”, explica Vieira.

Antes de baixar o aplicativo em seu smartphone, o motorista deve ter um número de celular e um endereço de e-mail cadastrados na base do Denatran.

Para fazer isso há duas opções: dirigir-se a qualquer CFC, informar os dados – caso não estejam atualizados – e então realizar um cadastro no Portal de Serviços do Denatran; ou, para quem possui certificação digital, comunicar todos os dados diretamente no Portal do Denatran.



Publicidade - Blog da Malu




© Blog da MaluTodos os direitos reservados.
imagem-logo