quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Como descobrir e usar bem os seus talentos

Não ter medo de experimentar e planejar-se, adequadamente são dicas importantes
Para se ter talento é necessário, antes de qualquer coisa, estar convencido de que o tem. A provocação é do escritor francês Gustave Flaubert.
O coach brasiliense Flávio Resende, especialista em Life Coaching e Coaching Ontológico, concorda e levanta a discussão de como é possível encontrar as nossas aptidões e aplicá-las em uma vida mais centrada e satisfatória.
Perceba as suas qualidades
Normalmente, nossas habilidades estão ligadas com o que nos dá prazer. É preciso experimentar para encontrar o que nos faz bem, e o que fazemos bem. “É muito importante, desde a infância, termos valorizadas nossas habilidades, seja pela família, pelos amigos ou pessoas próximas do nosso círculo de contato. O reforço positivo motiva e inspira”, afirma Resende. Dê mais atenção às coisas que dão certo, em vez de focar nos erros. Conseguir realizar bem uma atividade gera satisfação e incentiva a dedicação às próximas.
Encontre a sua direção
Não existe caminho certo ou que esteja estampado “como numa receita de bolo”. Exatamente por isso, explorar possibilidades é necessário. “A perseverança no que se acredita é um desafio para quem quer chegar onde se almeja. Mas, às vezes, o caminho é exatamente o inverso: mudar de direção”, provoca o coach.
Estabeleça objetivos
Planejar e estabelecer objetivos é essencial. A partir do momento em que a ideia é claramente percebida e os meios para sua realização definidos, o processo começa a fluir. “Como saber quando agir de uma forma ou de outra? É preciso estabelecer objetivos e focar neles, vendo e sentindo o que faz sentido ou não”. Reforçar os planos ao escrever e pensar sobre eles moldam nossas ações para o objetivo, facilitando a obtenção do sucesso.
Profissionalize-se
A melhor profissão tem a ver com suas habilidades, com o perfil de vida que pretende ter, com o nível e expectativa de padrão de vida, com valores, entre outros. “É uma decisão muito importante, que normalmente as pessoas precisam fazer numa fase sem maturidade suficiente para decidir. Há quem recomece, depois de um tempo. Há quem muda várias vezes na vida. O importante, na minha percepção, é fazer sentido e a escolha nos realizar, de alguma forma”, opina Flávio Resende.
Goste do que faz
“Um coveiro dificilmente sentirá prazer no que faz. Mas, para ele, pode fazer sentido apoiar um momento difícil na vida das pessoas”, afirma. Já ouviu dizer que se fizer de um hobby seu trabalho, vai passar a não gostar dele? Isso não é uma regra. Mas prazer e trabalho podem, sim, caminhar juntos. Aliás, o ideal é que caminhem. “Não é necessário que isso ocorra, mas se fizer sentido para você, siga em frente”, finaliza.


Sobre o coach Flávio Resende – Flávio Resende, 38 anos, é coach ontológico, pós graduado pela Homero Reis & Consultores. Sua especialidade são as áreas de Life Coaching (o Coaching de Vida, um processo que potencializa as habilidades do coache para que ele possa ampliar as suas conquistas em todas as áreas de sua vida, focando no aumento de performance, no aperfeiçoamento do comportamento e do pensamento, e nos resultados) e Coaching Empresarial (outra modalidade de coaching direcionada a empresários, que consiste em auxiliar, por meio de técnicas, ferramentas e práticas do Coaching. O foco do trabalho é para que estes profissionais desenvolvam novas habilidades e as competências necessárias para o alcance de alta performance no ambiente empresarial).
Fonte:Proativa

imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo