quinta-feira, 19 de maio de 2016

Comissão geral na CLDF Parlamentares, direção do BRB e endividados buscam solução com debate

A Câmara Legislativa do DF (CLDF), reuniu, nesta quinta-feira, no auditório da CLDF, centenas de pessoas, entre correntistas, bancários, endividados do Banco de Brasília (BRB), sindicatos, e representantes do BRB, como o presidente Vasco Gonçalves, para discutir a Proposta de Emenda à Lei Orgânica (PELO) 35/2016, de autoria das deputadas Celina Leão e Telma Rufino, e do Projeto de Lei 759/2015. Ambos tratam sobre a livre opção bancária pelos servidores do Distrito Federal.
 A comissão geral contou com a presença de diversos deputados, como Celina Leão, presidente da CLDF, Telma Rufino, Wellington Luiz, Rodrigo Delmasso, Chico Leite, Chico Vigilante e até o deputado federal Roney Nemer. Celina destacou a importância de se contextualizar informações sobre o que está acontecendo para que fosse realizada a comissão geral. “É importante afirmar que essa Casa, preza pelo servidor público. Vocês são nosso patrimônio”, afirmou, referindo-se aos servidores do banco. 
 A presidente da CLDF disse que entende que o BRB é um banco nosso. “Sou correntista há mais de 16 anos, e nunca mudei de banco, mesmo tendo oportunidade para isso, com a portabilidade”, disse ela realçando sua fidelidade à instituição bancária. 

 Celina disse que a PELO foi importante para provocar esse importante debate que ocorreu na tarde de hoje e fez perguntas à direção do banco. “O que está ocorrendo aqui? Por que? Qual é o banco que nós queremos? Os nossos clientes estão satisfeitos com nossos serviços? Nós podemos melhorar o serviço?  Temos de mudar a gestão para melhorar o serviço?”, disse ela informando que a CLDF ao invés de levar à PELO direto para a Comissão, decidiu  fazer uma audiência pública para discutir com os presentes o melhor caminho. 
 “Temos recebido, com frequência os envidados do BRB, e têm sido momentos chocantes e marcantes. Ouvimos diversas vezes muitas mulheres chorando, pais de família sem ter como quitar suas dívidas, sem salários porque o banco desconta tudo e clientes querendo cometer suicídio por desespero. Eles chegavam a esta Casa como esta fosse o último ponto de apoio. Algo precisava ser feito”, disse Celina sensibilizada.
 A parlamentar agradeceu ao BRB porque no primeiro momento tomou a decisão de iniciar um parcelamento para essas pessoas. “De um lado o banco precisa receber as dívidas, e não pode tê-las como a fundo perdido. E por outro as pessoas não se negam a pagar, mas precisam de renegociar as dívidas, desde que não tenham todo o seu salário comprometido, como estava acontecendo”, sublinhou.
 Na opinião de Celina faltam regras claras. “Quem são os endividados, o que os faz se enquadrar como tal? Sabemos que os bancos vivem também de lucros, e se não tiver lucro pode vir a falência. Não queremos isso e nem criar um prejuízo ao banco. No programa dos superendividados quem está lá na ponta são vocês. Essa audiência pode criar novos rumos e novos caminhos para e temos os compromissos com a deputada Telma de ouvir e não colocar nada para andar sem um consenso”, reafirmou Celina.
 A presidente da Casa disse que a Câmara Legislativa exerce um grande papel na tarde desta quinta-feira (19). “Temos os mesmos objetivos e vamos discutir com vocês o melhor caminho. Não vamos deixar de forma alguma quebrar o banco. Nosso maior objetivo foi esse: o de reunir todos nós, que somos cidadãos. E vermos toda a direção do BRB sentada conosco para discutir este problema foi muito bom. E tenho a certeza de que o resultado de tudo isso será a vitória para todos vocês”, finalizou Celina, dizendo que o encontro foi uma demonstração clara de que a comissão geral foi importante para todos.

Ascom da deputada Celina Leão




imagem-logo
© Repórter Malu - 2015 - Todos os direitos reservados.
imagem-logo