Economia: Nubank reconhece erro e anuncia medida para elevar presença de negros na equipe


Após a repercussão negativa da entrevista da cofundadora do Nubank Cristina Junqueira ao programa "Roda viva" na última semana, em que a executiva disse que a empresa não poderia se nivelar por baixo para buscar maior diversidade racial, a companhia anunciou medidas para ampliar a participação de negros na empresa.

 

Em texto assinado por seus fundadores com o título "O Nubank Errou", a companhia diz ter firmado acordo com o Instituto Identidades do Brasil como primeiro passo em sua transformação. Os empresários afirmam que o objetivo é ampliar o entendimento sobre o tema, firmar o engajamento público e acelerar a promoção da igualdade racial.

Os fundadores do Nubank também afirmam que a equipe de recrutamento dedicada a ampliar a inclusão na companhia irá dobrar de tamanho.

Os empresários dizem estar desenhando uma agenda real com ações concretas e ambiciosas de transformação na área de diversidade racial, que será apresentada em novembro.

Variedade: Sesc e Senac realizam juntos o Mês do Comerciário, com diversos serviços até 30 de outubro

​​​Para celebrar o mês em que se comemora o Dia do Comerciário, 30 de outubro, o Sesc-DF em parceria com o Senac-DF traz diversas atividades que serão oferecidas apenas para os trabalhadores do comércio e seus dependentes, de forma gratuita. 

Os serviços de cabeleireiro, barbeiro, sobrancelha, esmaltação, maquiagem, massoterapia e podologia poderão ser realizados de 26 a 30 de outubro na unidade do Guará. Além disso, na semana de 26 a 30 de outubro todos os restaurantes da instituição vão comercializar as refeições com 50% de desconto e as academias irão oferecer, para a matrícula dos novos alunos que aderirem ao plano anual, o valor de R$ 9,90 (nos primeiros três meses do plano citado).

A diretora de Programas Sociais do Sesc-DF, Nina Fontes, explica que a programação foi criada para proporcionar mais qualidade de vida para população comerciária. “O Sesc surgiu para atender as demandas dos trabalhadores do comércio e por isso não poderíamos deixar de prestar essa homenagem trazendo duas semanas de atividades especiais para eles e seus dependentes. Sabemos da importância desse público para o fortalecimento da instituição e o Mês do Comerciário será uma oportunidade para usufruir de novos benefícios”, afirmou.  

Os serviços realizados pelo Senac dentro das unidades do Sesc devem ser agendados por meio do Whatsapp da instituição no telefone (61) 8625-3721. Apenas comerciários e dependentes poderão usufruir, sendo que, cada um pode acessar até dois serviços de sua escolha. Ao longo da programação também haverá atividades de educação em saúde, alongamento e avaliação física. A promoção nas refeições irá funcionar nos restaurantes do Guará, Taguatinga Norte, Ceilândia e Gama. Já o plano para malhar nas academias valerá nas unidades da 504 Sul, de Taguatinga Norte, Taguatinga Sul, do Setor Comercial Sul (Edifício Presidente Dutra), Guará, Gama e de Ceilândia, podendo treinar na que desejar.

Veja a programação:

Sesc Guará

-26/10

9h às 13h - cabeleireiro, barbeiro e design de sobrancelha

14h às 18h – auriculoterapia, quick massagem e reflexologia podal

-27/10

9h às 13h - quick massagem e reflexologia podal

14h às 18h - barbeiro e design de sobrancelha

-28/10

9h às 13h – maquiagem e esmaltação

16h às 20h - cabeleireiro, barbeiro, design de sobrancelha

-29/10

9h às 13h - barbeiro e design de sobrancelha

16 às 20h – maquiagem e esmaltação

-30/10

9h às 18h – maquiagem e esmaltação

9h às 13h - quick massagem e reflexologia podal

14h às 18h – barbeiro e design de sobrancelha


Mês do Comerciário

Período: 19 a 30/10

Público-alvo: trabalhadores do comércio e dependentes

Agendamentos: +55 61 8625-3721​- Whatsapp

Gratuito


Economia: Dólar ultrapassa R$ 5,60 com avanço da covid-19 na Europa

 

Bolsa sobe e supera os 99 mil pontos em dia de ganhos

Pelo segundo dia consecutivo, tanto o dólar como a bolsa de valores subiram. A retomada dos casos do novo coronavírus em vários países desenvolvidos aumentou as incertezas no mercado global, fazendo a moeda norte-americana voltar a ultrapassar a marca de R$ 5,60. No entanto, a bolsa fechou em alta, amparada por ganhos de ações de empresas domésticas.

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (14) vendido a R$ 5,603, com alta de R$ 0,019 (+0,34%). A cotação começou o dia em queda, chegando a R$ 5,53 na mínima do dia, por volta das 10h. No entanto, o movimento reverteu-se ainda durante a manhã. A divisa subiu até fechar próxima da máxima do dia.

Surgimento de uma segunda onda de casos de covid-19 na Europa provocou tensões nos mercados. Hoje, Portugal decretou estado de calamidade, e a França anunciou toque de recolher entre as 21h e as 6h para conter o avanço da doença.

Nos Estados Unidos, os investidores perderam as esperanças de que um novo pacote de estímulo fiscal para a maior economia do planeta seja aprovado antes das eleições presidenciais de novembro. Em conferência, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, disse que o Congresso provavelmente não alcançaria um acordo antes do pleito.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, voltou a subir, fechando o dia aos 99.334 pontos, com alta de 0,84%. O indicador está no maior nível desde 17 de setembro, quando tinha fechado pouco acima dos 100 mil pontos.

O fechamento de um acordo entre a J&F e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos fez as ações da produtora de carnes JBS (controlada pela J&F) subir 9,2% nesta quarta, sustentando a alta do Ibovespa. A J&F declarou-se culpada de violar legislação norte-americana contra corrupção e pagará multa de cerca de US$ 128 milhões. O acordo retira um entrave para que a JBS lance ações no exterior, o que aumentou a demanda por ações da companhia no Brasil.

*Com informações da Reuters

Edição: Nádia Franco

BSB: Contratações temporárias para o Natal deste ano deve chegar a 3 mil

Mesmo com a pandemia, número de contratações temporárias para o Natal deste ano deve chegar a 3 mil, revela Instituto Fecomércio-DF

A contratação de trabalhadores temporários para atuar no comércio brasiliense durante o Natal será menor este ano quando comparado com 2019. É o que mostra o levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio-DF.

 De acordo com o estudo, 20,90% dos empreendedores farão contratações, isso significa que serão abertas aproximadamente 2.860 vagas temporárias em 2020. No ano passado, na mesma época, 22,6% dos comerciantes manifestaram o desejo de realizar contratações temporárias (3.094). O levantamento ouviu 402 lojistas do DF, de diversos segmento, entre os dias 20 e 27 de setembro. 

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, aponta que apesar da situação atual de pandemia, que começou em março no Brasil, alguns lojistas farão contratações. “Apesar do coronavírus ter impactado diretamente a confiança do empresário, principalmente quanto a tomada de decisão em aumentar as despesas, notamos apenas uma pequena queda nas contratações quando comparado com o ano passado. 

O que não é de todo ruim, até mesmo por conta das incertezas causadas pela atual situação”, informa. “O Natal é sempre um momento mágico e uma das melhores oportunidades para a recuperação no fluxo de caixa, por ser a melhor data para o comércio. Por isso, alguns empresários irão aumentar sua mão de obra e vão efetivar trabalhadores temporários, o que é bom para a economia local e para a recuperação do mercado de trabalho”, completa.

De acordo com o levantamento, 54,76% dos empresários começarão a contratar a partir da segunda quinzena de novembro e  36,90% a partir da primeira quinzena de dezembro. A pesquisa perguntou se existe a possibilidade do funcionário temporário ser efetivado e 77,38% dos entrevistados disseram que sim - apesar de alto, a expectativa do ano passado era 92,2%. Os principais pré-requisitos apontados para o preenchimento das vagas são: flexibilidade de horário (33,04%); comportamento proativo (24,23%) e experiência prévia para o cargo (22,47%).

O segmento com a maior média de contratação por estabelecimento para esse ano é o de minimercado, mercearias e armazéns (7,5%); calçados e acessórios (3,9%); artigos de armarinho, suvenires e bijuterias (3,17%); padaria e confeitaria (3,14%); suprimento de informática (2,75%); vestuário e acessórios (2,63%); cosmético e perfumaria (2,25%); cama mesa e banho (2,00%); joalheria(2,00%); vidraçaria (2,00%) e papelaria e livraria (1,00%).


Economia: Sema e BRB vão atrás de recursos para obras sustentáveis


Parceria com New Development Bank deve oferecer linhas de financiamento a baixo custo para produtos e projetos que neutralizem gases causadores do efeito estufa no DF 

A Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e o Banco Regional de Brasília (BRB) vão firmar parceria junto ao New Development Bank (NDB) para buscar recursos internacionais a serem investidos em projetos de desenvolvimento sustentável no Distrito Federal. 

As instituições se comprometeram em assinar acordo de cooperação técnica para  formular uma carta-consulta que deve ser submetida ao NDB e ao Ministério da Economia ainda este ano. 

A decisão foi tomada nesta terça-feira, (27/8), em reunião entre o titular da Sema, Sarney Filho; o diretor-presidente do BRB, Paulo Henrique Costa; e o diretor-geral NDB, Couto Silva. O NDB é composto pelos países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia e China e África do Sul). 

A ideia é que o BRB possa oferecer linhas de financiamento a baixo custo para pessoas físicas e jurídicas, com produtos alinhados à neutralização de gases causadores do efeito estufa no DF. Serão feitos, por exemplo, investimentos em soluções de mobilidade urbana de baixa emissão e fontes de energias alternativas, como a fotovoltaica. 

Outras opções de investimentos são em reuso de água, resíduos sólidos e soluções na linha Cidades Inteligentes. 
De acordo com Sarney Filho, há o entendimento por parte do governador Ibaneis Rocha de que o GDF deve se esforçar para neutralizar as emissões. “Temos o compromisso de fazer isso, pelo menos no âmbito do Plano Piloto, até 2022”, explica.

No Distrito Federal os maiores poluidores são a frota de veículos, cimenteiras e resíduos sólidos. “Nossa preocupação é que a capital do país serve de exemplo para o Brasil inteiro. Possui representação dos Três Poderes e de embaixadas de dezenas de países. O seu potencial de dar bons resultados e servir de modelo para outros estados é muito grande”, disse. 

Segundo o diretor-presidente do BRB, a instituição bancária está empenhada na criação de uma política de crédito relacionada à sustentabilidade e uma parceria com o NDB nesse sentido será uma ótima oportunidade de servir ao DF, como um banco público, regional e alinhado às políticas governamentais. “Vamos trabalhar com a meta de aplicar esses recursos já em 2020”, disse. 

Couto Silva apresentou a carteira da instituição, também integrada pelo Brasil, e disse que para o Banco, cujas maiores operações estão concentradas na Índia e na China, é muito importante aumentar a aplicação de recursos no país. “Estamos com grande apetite para operar aqui. E começar por Brasília seria maravilhoso”, afirmou. O NDB está sediado em Shangai, na China.

* Com informações da Secretaria de Meio Ambiente


Economia: DF gera 16 mil postos de trabalho em junho, aponta a PED

Taxa de desemprego ficou em 19,5%. Resultado foi impactado pelo número de pessoas que entraram no mercado de trabalho.

O Distrito Federal gerou 16 mil postos de trabalho em junho, aponta a Pesquisa de Emprego e Desemprego divulgda nesta quarta-feira (31) na Secretaria do Trabalho. 
Entre maio e junho, a taxa de desemprego se manteve praticamente estável, passando de 19,4% para 19,5%. 
O resultado se deve ao crescimento maior do número de pessoas que entraram no mercado de trabalho (21 mil) em relação à criação de postos de trabalho no período (16 mil). No mês passado, o DF somou 336 mil desempregados.

Números setoriais
Os setores de Comércio, Construção e Serviços registraram altas de 3,5%, 6,3% e 0,5% respectivamente. No que se refere ao setor de Serviços, a Administração Pública teve acréscimo de 1,8%. Por outro lado, houve redução na Indústria de Transformação (-2,1%).

“A gente teve um aumento do número de postos de trabalho pelo terceiro mês consecutivo, o que é um sinal positivo, inclusive na Construção e no Comércio, setor que vinha apresentando queda e gerou no último mês oito mil postos”, explica o presidente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Jean Lima.

O setor privado obteve aumento no contingente de assalariados (1,2% ou 8 mil), enquanto o público se manteve estável. No setor privado, cresceu a quantidade de assalariados com carteira de trabalho assinada (2,1% ou 12 mil) e caiu o sem carteira (-3,7%, ou -4 mil), o que representa o fortalecimento do mercado de trabalho formal.

O secretário do Trabalho do Distrito Federal, João Pedro Ferraz, vê os números com otimismo. “Acreditamos que, no segundo semestre, a cada divulgação de pesquisa, tenhamos uma melhora no cenário de emprego”, afirmou.

Queda na baixa renda
A taxa de desemprego caiu nas regiões de baixa renda, passando de 24% em maio para 23,4% em junho. O grupo compreende as seguintes regiões: Fercal, Itapoã, Paranoá, Recanto das Emas, SCIA – Estrutural e Varjão.

 Também houve queda no índice, de 17,4% para 16,5%,nas regiões de média-alta renda (Águas Claras, Candangolândia, Cruzeiro, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Sobradinho, Sobradinho II, Taguatinga e Vicente Pires).

Na comparação com junho de 2018, o desemprego diminuiu principalmente entre os jovens, negros e nas regiões de baixa renda. A taxa passou de 45,9% para 42,7% entre os jovens (16 a 24 anos), 21,3% para 20,8% entre os negros e de 26,2% para 23,4% nas regiões de baixa renda.

AGÊNCIA BRASÍLIA * Com informações da Codeplan

Volta as Aulas:Programa Material Escolar: empresários terão que prestar contas em agosto

As papelarias deverão apresentar à SDE o relatório das notas fiscais emitidas para comprovação de gastos.

Depois de faturar mais de R$18 milhões com o Cartão Material Escolar, os 333 credenciados no programa terão que prestar contas ao governo. Os empresários deverão apresentar à Secretaria de Desenvolvimento Econômico o relatório das notas fiscais emitidas durante o período de vendas dos itens escolares. 

Quem não entregar os comprovantes poderá ser excluído por até 3 anos do programa. O prazo para entrega é o mês de agosto.

O objetivo da medida é garantir a lisura e o atendimento às regras do programa. A relação com as chaves das notas fiscais emitidas pela Secretaria de Fazenda do Distrito Federal poderá ser entregue pessoalmente no Simplifica PJ, em Taguatinga. Outra opção é enviar pelo e-mail credenciamento.papelarias@desenvolvimento.df.gov.br
“Esperamos fazer um mapeamento consistente para auditar as transações. Uma avaliação por amostragem vai detectar se houve irregularidades”, explica o coordenador de Articulação com o Setor Produtivo da SDE, Allex Moraes. 

Se algum comerciante tiver vendido itens que não estavam na lista de materiais prevista no edital, poderá também responder na esfera penal e administrativa.

AGÊNCIA BRASÍLIA * Com informações da SDE
#Voltaasaulas #Ibaneisrocha #secretariaeducação

Politica:Projeto altera texto da Lei de Responsabilidade Fiscal para melhorar arrecadação e evitar sonegação fiscal

De autoria do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), PLP 158/2019 detalha medidas para instituição, previsão e efetiva
arrecadação de tributos

O Senado analisa proposta que altera o texto da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e cria mecanismos para dar mais eficiência à arrecadação de tributos no país. De autoria do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), o PLP 158/2019 dá nova redação ao artigo 11 da LRF e detalha os princípios e as ações pertinentes ao exercício integral da competência tributária.

O projeto determina, por exemplo, que estados, Distrito Federal e União especifiquem quais são os tributos de competência de cada ente da federação para dar mais eficácia à cobrança, com redução da sonegação fiscal e da isenção de impostos.

Para Anastasia, a mudança estimula o aperfeiçoamento da legislação tributária brasileira e é oportuna, em momento de “grave” crise fiscal de estados e municípios. “A administração pública deve enfrentar essa grave crise com grande esforço, cobrando corretamente os seus tributos. Claro, sem exagero e ônus a mais do que deve ser, mas instituindo aqueles tributos que a Constituição Federal outorga aos municípios e estados”, justifica.

A proposta sugere, por exemplo, que os entes da federação instituam um cronograma anual de fiscalização tributária que contemple ações para atingimento das metas de arrecadação e de combate à evasão e sonegação fiscal. Outra medida sugerida é o estabelecimento de uma rotina de monitoramento e controle para checar o cumprimento desse cronograma. Os entes também devem formar um quadro de pessoal capacitado para a fiscalização tributária e uma estrutura de trabalho equipada e informatizada.

“Essa mesma estrutura deve permitir a qualificação dos servidores e evitar a concessão de benefícios e privilégios a pessoas físicas ou jurídicas, de tal modo a estabelecer uma justiça tributária, para o aperfeiçoamento da prestação dos serviços públicos. E os serviços públicos só podem ser bem prestados se tiverem lastros na arrecadação tributária”, defende Anastasia.

Peça orçamentária

O projeto de lei complementar também prevê alterações na forma como a Lei Orçamentária Anual (LOA), elaborada pelo Executivo para definir as despesas e receitas para o próximo ano, é estimada. O objetivo é aprovar para o exercício seguinte uma peça orçamentária mais perto da realidade de arrecadação e gastos do governo. 

A orientação é de que estados e municípios devem evitar superestimar a LOA. O vice-presidente da  Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios (Abracom), o conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), Renato Rainha, faz uma comparação simples: “nas contas pessoais, estimar ganhar R$ 100 milhões em um ano, mas ganhar apenas R$ 100 mil pode colocar os gastos em risco”.

Para aprovar uma previsão razoável, a proposta do senador Anastasia estabelece a análise do histórico do comportamento da receita dos últimos cinco anos para garantir uma proximidade com a realidade de arrecadação. “O projeto determina o correto planejamento para evitar peças orçamentárias com superestimativas. Acho a proposta muito interessante porque traz algumas determinações de forma mais específica. Isso vai ajudar muito na arrecadação e nos gastos dos recursos públicos”, avalia Rainha.

Atualmente, o PLP 158/2019 aguarda tramitação na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.
Agencia EBC: Repórter Paulo Henrique

Economia: FMI reduz previsão de crescimento da economia brasileira para 0,8% em 2019


 Segundo especialistas, mudança na projeção está atrelada a incertezas de investidores estrangeiros, que esperam, por exemplo, pela aprovação da Reforma da Previdência.O Fundo Monetário Internacional, o FMI, divulgou nesta terça-feira (23) um relatório que reduz para 0,8% a previsão de crescimento da economia brasileira para 2019. Na avaliação do executivo financeiro Adilson Bretherick, o FMI reviu essa estimativa porque o Brasil ainda não deu todos os indícios de recuperação econômica.
“Neste caso, o FMI está dizendo que está pessimista com relação à posição de mercado brasileiro. Está dizendo que o mercado brasileiro deve retrair frente àquilo que ele estava esperando, que era uma coisa em torno de 2,1% de crescimento do PIB, reduziu a sua expectativa para 0,8%. Ou seja, um pouco menos que 1%”, comentou.
Para o economista William Baghdassarian, o FMI alega que essa piora é resultado de um notório enfraquecimento da confiança, mediante a algumas incertezas sobre a aprovação da reforma da Previdência e de outras reformas.
“A gente tem que lembrar que cada vez que a expectativa é alterada, os agentes econômicos decidem investir ou deixar de investir na economia. Vamos imaginar que a Reforma da Previdência corra algum risco de não passar. Eu, como agente econômico, o quê que eu faria? Eu simplesmente cortaria o investimento privado, que eu viesse a fazer, porque eu tenho um governo que tem uma dívida em trajetória explosiva. O mercado, na verdade, trabalha muito por expectativa. Ele antecipa as coisas. Então, na medida em que o ambiente de otimismo voltar, o mercado vai voltar”, afirmou.
Para 2020, a expectativa do FMI é de crescimento brasileiro de 2,4%, número que continua abaixo dos 2,5% esperados em abril deste ano.

Economia:Abono do PIS/Pasep começa a ser pago nesta quinta

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberão o abono do PIS ainda este ano.
O pagamento do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), exercício 2019/2020, começa na próxima quinta-feira (25). A liberação do dinheiro para os cadastrados no PIS vai considerar a data de nascimento. No caso do Pasep, o calendário é definido pelo dígito final do número de inscrição.

 Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberão o abono do PIS ainda este ano. Já os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2020. Recebem também este ano os servidores públicos cadastrados no Pasep com dígito final do número de inscrição entre 0 e 4. Os registros com final entre 5 e 9 receberão no próximo ano.

A data para o fechamento do calendário de pagamento do exercício 2019/2020 está prevista para o dia 30 de julho de 2020. A estimativa é de que sejam destinados R$ 19,3 bilhões a 23,6 milhões de trabalhadores. O pagamento do abono salarial referente ao PIS será feito pela Caixa em suas agências em todo o país; e o abono do Pasep será pago no Banco do Brasil.

Para ter direito ao abono salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2018, com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador tem de estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Para os trabalhadores que tiverem os dados declarados na Rais 2018 fora do prazo e entregues até 25 de setembro de 2019, o pagamento estará disponível a partir de 4 de novembro de 2019, conforme calendário de pagamento aprovado, e, após este prazo, somente no calendário seguinte.

Com informações da Agência Brasil

Variedade: VENDA DE CARTÕES BRB CRESCE 94% EM MAIO

Ativação aumentou em 59% na comparação com 2018
A comercialização de cartões do BRB cresceu 94% em maio, comparada ao mesmo período do ano passado. É o que mostra balanço realizado pelo Banco. 

As ativações também tiveram incremento robusto, e aumentaram em 59% em relação a maio de 2018. 
O BRB também registrou crescimento de 4% da base de cartões ativos no mês passado.
O presidente Paulo Henrique Costa afirmou que o avanço dos negócios do BRB está acontecendo em todos os produtos da Instituição. “A ampliação do relacionamento com os clientes é uma prioridade do Banco.  O objetivo é oferecer um portfólio completo, de forma que o BRB seja o primeiro banco de todos os clientes”, disse. Em relação aos cartões do BRB, o presidente destacou que eles apresentam uma série de diferenciais e estão adequados à realidade e às necessidades dos clientes de Brasília.
As novas parcerias do programa de relacionamento com clientes são um dos diferenciais do produto. Titulares dos cartões BRB têm descontos em diversos estabelecimentos para pagamentos com o cartão de crédito da Instituição.
A partir de julho, o programa “Curtaí”, passa a oferecer condições especiais em rede de postos de combustível, além de ações para o Dia dos Pais, para a Black Friday e para o Natal em shoppings da cidade.
Informações,Ascom do BRB

Utilidade Publica: CARAVANA FCO ITINERANTE 2019

A abertura da Caravana Itinerante do FCO será realizada no dia 18 de junho de 2019, às 14h30, no auditório do Sistema Fibra no SIA.

Para facilitar a liberação dos recursos, será posto à disposição um interlocutor
entre as associações que representam o setor produtivo no DF e as instituições
financeiras, – pela primeira vez – será colocado um POSTO DE ATENDIMENTO
AVANÇADO – na própria FIBRA no SIA – do dia 19 à 24/06/2019, das 10h às 17h, para
melhor atender os interessados em aderir o Fundo, e em seguida do dia 24 de junho em
diante, os atendimentos serão na própria agência do Banco do Brasil do SIA.
O SEBRAE participará com uma consultoria aos empresários interessados.
Para este ano, o fundo dispõe de R$ 703 milhões em recursos para o DF - sendo

50% para o empresarial e 50% para o rural.

A Caravana Itinerante do FCO é organizada pela Secretaria de Fazenda,
Planejamento, Orçamento e Gestão (SEFP) e pela Superintendência do
Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), em parceria com o Sistema Brasileiros de
Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Banco do Brasil, Banco Regional de
Brasília e outras instituições financeiras.

O objetivo do FCO é contribuir para o desenvolvimento econômico e social, por
meio de financiamentos ligados aos setores industrial, agropecuário, mineral, de
turismo, de infraestrutura econômica, comercial e de serviços.
Na linha do FCO Rural, há investimento e custeio para produção agrícola,
pecuária e implementação, ampliação ou modernização de agroindústrias e
cooperativas.

Já no FCO Empresarial, pessoas jurídicas e microempreendedores individuais
têm acesso às linhas para infraestrutura econômica e desenvolvimento industrial, do
turismo regional, dos setores comercial e de serviços. É possível obter, por exemplo,
financiamento para aquisição de insumos, matéria-prima e formação de estoques para
vendas.

Essas reuniões servem justamente para alinhar e identificar as carências e
dúvidas que o empresário possui em relação a linha de crédito.
A aproximação do setor produtivo com o financeiro é extremamente importante,
justo por que, esse tipo de ação beneficia, principalmente, o pequeno e o médio
empresário.

É preciso ter um mecanismo de facilitação para as empresas terem acesso ao
crédito.
A administração regional do SIA e o sistema FIBRA disponibilizaram um
interlocutor entre as associações que representam o setor produtivo no DF e as
instituições financeiras, com a intenção de fazer com que esses empresários possam ser
assessorados, e dessa forma identifique pequenos gargalos no processo de aquisição do
FCO.
Tudo visando a otimização e a liberação do crédito.
Criado pela Lei Federal nº 7.827, de 27 de setembro de 1989, o ( FCO ) Fundo
Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) é um agente de
Desenvolvimento da região Centro-Oeste mantido pelo Banco do Brasil.
A principal meta é dar aos empresários, mais informações sobre como obter
crédito das linhas de financiamento disponíveis no FCO. Assim, sucessivamente, o
Desenvolvimento econômico é incentivado por meio de financiamento, gerando
Emprego e renda.

BÔNUS E ISENÇÕES
Entre as vantagens oferecidas pelo fundo estão encargos financeiros
diferenciados; bônus de adimplência de 15% sobre os encargos financeiros; isenção de
tarifa de abertura de crédito (TAC) e Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e
Seguros (IOF); e prazo ajustado à capacidade de pagamento.

Este ano, a programação prevê a aplicação de 51% dos recursos em
Empreendimentos de mini, micro, pequenos e pequeno-médios tomadores.
Podem solicitar empréstimos produtores rurais, firmas individuais, pessoas
jurídicas, associações e cooperativas de produção – que desenvolvam atividades nos
setores agropecuários, mineral, industrial, agroindustrial, turístico, de infraestrutura,
Comercial e de serviços.
A CARAVANA DE 2019 – FCO ITINERANTE – FUNDO CONSTITUCIONAL DE
FINANCIAMENTO DO CENTRO-OESTE – acontecerá em conjunto com as seguintes
admistrações regionais: SETOR DE INDÚSTRIA E ABASTECIMENTO, NÚCLEO
BANDEIRANTE, ÁGUAS CLARAS, PARK WAY, GUARÁ e SCIA. O evento acontecerá nas
seguintes datas:
ABERTURA DE LANÇAMENTO DA
ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO SETOR DE INDÚSTRIA E ABASTECIMENTO
DATA: 18/06/2019 - Terça-Feira
HORÁRIO: 14h30
LOCAL: Sistema FIBRA
ENDEREÇO: SIA Trecho 03 - Lote 225 - Auditório
AGENDA
18/06/2019
TERÇA-FEIRA
SETOR DE INDÚSTRIA E ABASTECIMENTO
NÚCLEO BANDEIRANTE
ÁGUAS CLARAS
PARK WAY
GUARÁ
SCIA




Economia: Planejamento Tributário pode ser determinante para o sucesso empresarial

O conhecimento acerca de como funciona as regras sobre tributos potencializa as chances de uma empresa se destacar no mercado. Um bom planejamento pode fazer a diferença

No Brasil, a produção de normas em matéria tributária é enorme. Para as empresas, as obrigações acessórias impostas aos contribuintes ganharam destaque para todo e qualquer negócio se manter diante do cenário econômico atual.
Para conseguir conduzir uma corporação, é necessário estar ciente das despesas geradas a partir da sua criação. A falha na gestão implica diretamente no aumento de contas e, consequentemente, em possíveis falências. Para fugir deste problema, é importante conhecer o sistema tributário e as obrigações do empresário acerca deste assunto.

 “Dentro do âmbito tributário, o ICMS é, atualmente, o imposto com maior impacto nos negócios diante da diversidade de legislações e formas de apuração deste tributo. Ele tem sido definidor do sucesso ou fracasso de muitos empreendimentos”, explica Jacques Veloso de Melo, sócio fundador do escritório Veloso de Melo e membro do Conselho Superior da Câmara de Tributação e Finanças Públicas, da Fecomércio-DF.

 Apesar da sua importância dentro do mercado, alguns gestores não ficam atentos à necessidade de estar a par das questões financeiras das suas empresas, o que impacta negativamente na performance empresarial.

 Por conta disso, é imprescindível ter ciência dos custos incidentes sobre o negócio para conseguir abri-lo e, acima de tudo, mantê-lo. Isso se deve principalmente às questões tributárias. Atrelado a esse fator, é necessário estar a par da planilha de custos da firma. Com ela, se torna mais fácil revisitar as despesas extras a fim de viabilizar possíveis reduções.

 Planejamento tributário - Algumas empresas recorrem a um auxílio extra quando o assunto é pagamento de contas. É aí que entra o planejamento tributário. A prática nada mais é do que ampliar a visão da gestão de pagamento de tributos de uma empresa, identificando maneiras, dentro da lei, de reduzir o pagamento de impostos.

 “O planejamento tributário inclui a análise da formatação do negócio, analisando os custos de aquisição dos insumos e produtos adquiridos pela empresa, bem como a destinação principal destes, ou seja, aonde estão os seus clientes, visando, assim, aliar as estratégias de logísticas aos menores custos tributários possíveis”, complementa o advogado.

 Esta medida tem se tornado uma grande aliada dos empresários brasileiros, visto que é essencial uma revisão periódica da apuração dos tributos, pois as constantes mudanças legislativas podem levar a equívocos nesta apuração, gerando pagamentos superiores ao devido. 

 Independente do recurso legal utilizado pela corporação, é importante destacar que o conhecimento acerca do mundo tributário é um dos maiores fatores para determinar o caminho que a empresa trilhará, sendo eles o fracasso ou  sucesso.

 “A falta de conhecimento gera uma arquitetura negocial com custos tributários mais elevados e, consequentemente, com preços mais caros do que a concorrência”, pontua Veloso de Melo.

 Sobre a Veloso de Melo Advogados – O escritório de advocacia de Brasília conta com experiência e comprometimento acumulados em mais de 20 anos no atendimento a empresas de diversos setores e localidades do Brasil. O advogado e especialista em Direito Tributário, Jacques Veloso, dá o direcionamento à Veloso de Melo Advogados, que tem foco principal na área tributária e societária.

 Proativa Comunicação


Brasilia: GDF promove, nesta segunda-feira (27), primeiro sorteio do Nota Legal de 2019

O Governo do Distrito Federal promove, nesta segunda-feira (27), o primeiro sorteio do Programa Nota Legal de 2019. 

O evento, a se realizar no Salão Nobre do Palácio do Buriti, às 15h, vai distribuir R$ 3 milhões aos consumidores participantes do programa. 
Ao final do sorteio, o secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, André Clemente, atenderá aos jornalistas presentes.

O montante será dividido em um prêmio no valor de R$ 500 mil, dois de R$ 200 mil, três de R$ 100 mil, quatro de R$ 50 mil, dez de R$ 10 mil, 30 de R$ 5 mil, 50 de R$ 1 mil, 500 de R$ 200 e ainda 12 mil prêmios no valor de R$ 100 cada.

Ao todo, estão habilitados a entrar no sorteio desta segunda 770.751 consumidores, com um total de 47.363.382 bilhetes. Cada consumidor pode fazer parte da promoção, em igualdade de condições com até 200 bilhetes por mês. Cada compra corresponde a um bilhete, independentemente do valor consumido. Não há diferença do valor. Participam do sorteio os consumidores que se cadastraram no programa até 31 de março deste ano, indicaram o CPF na compra de produtos e serviços em estabelecimentos no DF entre os dias 1º de maio e 31 de outubro de 2015 e não possuem débitos com o GDF.


770.751 Total de consumidores habilitados a participar do sorteio

Os ganhadores contemplados no sorteio serão avisados por e-mail. Eles terão até o dia 23 de novembro deste ano para indicar a conta-corrente ou poupança na qual deverá ser feito o depósito. Essa indicação é feita dentro do próprio site do Nota Legal, no campo específico relacionado ao sorteio. Lá o consumidor contemplado encontra as informações sobre o seu bilhete premiado, assim como o caminho para indicação da conta onde será realizado o depósito do prêmio.

Caso não ocorra o resgate no período indicado, o dinheiro retorna para o caixa do Tesouro do DF. A lista dos bilhetes contemplados será publicada no site do Nota Legal (www.notalegal.df.gov.br) e no Diário Oficial do Distrito Federal. O nome dos ganhadores não será divulgado, pois, com o número do bilhete e a checagem no site do programa, o ganhador tem acesso aos dados do seu prêmio.

Sorteios anteriores

 Já foram realizados outros três sorteios do programa Nota Legal. O primeiro aconteceu em 20 de novembro de 2017; os demais, em 21 de maio e em 29 de novembro, ambos de 2018. Foram sorteados R$ 9 milhões, contemplando cada rodada com R$ 3 milhões. A data final para os consumidores premiados no último sorteio de 2018 indicarem a conta bancária, corrente ou poupança, termina nesta terça-feira (28). Até o momento, houve a indicação para recebimento de mais de R$ 6 milhões.


Nota Legal

O Nota Legal foi instituído no Distrito Federal com a publicação da Lei nº 4.159, de 13 de junho de 2008. 
É um programa de concessão de créditos criado com o objetivo de estimular o consumidor a exigir o documento fiscal nas compras de mercadorias e serviços. A intenção é contribuir para o combate à sonegação e munir o governo de informações essenciais à cobrança regular de impostos.

Em retribuição, o consumidor recebe créditos do programa e pode utilizá-lo para abatimento no valor de impostos – IPTU e IPVA – ou pode receber o crédito em dinheiro, caso não possua veículo ou imóvel em seu nome. Para fazer jus a esses benefícios, é necessário fazer o cadastro no site do programa (www.notalegal.df.gov.br) e solicitar a inclusão do CPF nas compras realizadas no comércio local.

  * Com informações da Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão

Variedade: Enem 2019 registra mais de um milhão de inscritos no primeiro dia

O balanço de inscritos divulgado pelo Ministério da Educação contabiliza os candidatos registrados até as 20h de ontem .

Mais de um milhão de pessoas se inscreveram para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 no primeiro dia de inscrições, iniciadas ontem (6) e vão até o dia 17 de maio, pela internet. As provas do Enem serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro.

O balanço de inscritos divulgado pelo Ministério da Educação contabiliza os candidatos registrados até as 20h de ontem.

A taxa de inscrição para o Enem é de R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio. O participante terá até 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Após esse prazo, não serão mais permitidas mudanças.

O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 e 24 de maio.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de o estudante concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Com informações da Agência Brasil

Economia: Governo avalia liberar de novo saque das contas do PIS/Pasep

A medida vem num momento em que o setor produtivo cobra do governo iniciativas para estimular a economia.

De olho na piora das expectativas para o crescimento econômico neste ano, o governo Jair Bolsonaro avalia liberar novamente o saque das contas dos trabalhadores no PIS/Pasep, segundo apurou o Estadão/Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. A expectativa é de que a medida proporcione uma injeção de R$ 9 bilhões a R$ 10 bilhões na economia após a nova rodada de resgates.

 A medida vem num momento em que o setor produtivo cobra do governo iniciativas para estimular a economia diante do baixo crescimento. O IBGE anunciou ontem queda de 1,3% na produção industrial em março ante fevereiro, o que foi visto como mais um sinal de que a economia pode ter voltado a encolher no primeiro trimestre.

O fundo PIS/Pasep ainda reúne cerca de R$ 21 bilhões de trabalhadores que tiveram a carteira assinada entre 1971 e 1988 e não sacaram os recursos, mesmo cumprindo os requisitos então em vigor - aposentadoria, doença grave ou idade de 70 anos. Esse dinheiro se acumulou no período após a descontinuidade do fundo, cujas receitas foram direcionadas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), e poderia agora dar um empurrão no consumo das famílias ou ajudá-las a pagar dívidas.

Iniciativa

Na tentativa de alavancar o crescimento, o governo do presidente Michel Temer inaugurou esse tipo de expediente e decidiu antecipar a idade de acesso às contas do PIS/Pasep para 60 anos, por meio de um medida provisória. No Congresso, os parlamentares alteraram o texto e, até o fim de setembro de 2018, permitiram que qualquer detentor das cotas do PIS/Pasep pudesse resgatar o dinheiro.

O governo atual pretende repetir a dose e liberar os saques para todas as idades. Mas a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, porém, vê o impacto da medida no crescimento como "consequência" de uma iniciativa pensada para devolver dinheiro que é do trabalhador.

No governo Temer, a liberação do PIS/Pasep sucedeu o saque das contas inativas do FGTS, que colocou cerca de R$ 40 bilhões para circular na economia em momento de baixo crescimento. O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, já se manifestou defendendo que medida semelhante seja adotada por Bolsonaro.

No caso do PIS/Pasep, há maior dificuldade em liberar todos os recursos porque muitos beneficiários já faleceram. A Caixa, responsável pelo PIS, e o Banco do Brasil, que gerencia o Pasep, têm dificuldades em comunicar herdeiros sobre a disponibilidade do dinheiro.

Dados de 30 de junho de 2018 mostram que 30% do saldo está nas contas de quem tem mais de 70 anos e já pelo critério antigo poderia resgatar os recursos.

Na transição de governo, o então Ministério de Planejamento (fundido ao atual Ministério da Economia) alertou para a necessidade de discutir a conveniência de manter o fundo e estudar "alternativas para a destinação mais proveitosa desses recursos". "A evolução dos saques mostra que dificilmente os recursos restantes serão reclamados. As razões variam desde o falecimento do cotista até o desinteresse do trabalhador após passado tanto tempo desde a contribuição", dizia o documento divulgado à época.

O Fundo PIS/Pasep hoje é usado como fonte de recursos em empréstimos concedidos pelo BNDES e, em menor medida, pelo Banco do Brasil e pela Caixa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Mega-Sena sorteia hoje o maior prêmio deste ano: R$ 125 milhões

O sorteio das seis dezenas do concurso 2.147 será realizado a partir das 20h (horário de Brasília)

A Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira (2) um prêmio de R$ 125 milhões. De acordo com a Caixa, o maior deste ano.
O sorteio das seis dezenas do concurso 2.147 será realizado a partir das 20h (horário de Brasília) no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.

De acordo com a Caixa, o valor do prêmio, caso aplicado na poupança, renderia mais de R$ 464 mil por mês.

As pessoas podem fazer suas apostas até as 19h (horário Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta mínima custa R$ 3,50.
Com informações da Agência Brasil

Economia: Ideias que gera emprego no Brasil

A dica de hoje é que o nosso pais necessita de novas cinco notas cédulas R$ no mercado para facilitar o troco no Brasil, e mais uma moeda no valor de R$ 0,80 centavos

Hoje temos cinco moedas que são as de R$ 1,00 - R$ 0,50 - R$ 0,25 - R$ 0,10 - R$ 0,05 centavos, em cédulas de papel impresso são seis as de R$ 2,00 - R$ 5,00 - R$ 10,00 - R$ 20,00 - R$ 50,00 - R$ 100,00 para facilitar o troco e evitar a quantidade das moedas no troco dos Brasileiros, seriam necessário  criar as notas de R$ 2,50 - R$ 3,00 -  R$ 8,00 - R$ 25,00,R$ 80,00 serão a inclusão de mais cinco novas notas cédulas no mercado brasileiro

Assim facilitaria muito para os comerciantes no geral e a todos nos brasileiros, assim teríamos as Notas de R$ 2,00 - R$ 2,50 - R$ 3,00 - R$ 5,00 - R$ 8,00 - R$ 10,00 - R$ 20,00 - R$ 25,00 - R$ 50,00 - R$ 80,00 - R$ 100,00 serão onze notas de cédulas impressas e cinco moedas num total de dezesseis valores comercial brasileiro ajudara muito a todos! Pense e reflita nesta ideia se gostou compartilhe para seus amigos e familiares assim com boas ideias iremos contribuir com nosso pais!

Banco Central do Brasil pode injetar um valor de 125 bilhões de reais em cédulas imprimindo estas novas cinco notas, sendo 25 bilhões a cada valor, e 25 bilhões em moedas de R$ 0,80 centavos, somando um total de 150 bilhões pra movimentar a economia brasileira e gerar emprego nas industrias e pós fabricação dos equipamentos.Com este valor de 150 bilhões de reais poderá injetar no programas da construção de minha casa minha vida e nas construções das casas do CDHU no Brasil, dando a eles brasileiros a oportunidade de um financiamento a 3%  ao ano. 

E no programa renovação de frota dos caminhões no Brasil,  dando a eles caminhoneiros brasileiros a oportunidade de um financiamento a 3%  ao ano.  ​ Na agricultura no programa mais alimentos,investindo no pequeno e médio agricultor, dando a eles a oportunidade de um financiamento a 3%  ao ano para compras de novos equipamentos na lavoura e agricultura (maquinas e tratores) e implementos de plantio, na geração de emprego no campo. 

Na industria em compras de tornos cnc e injetoras para fabricações de peças e produtos na industria brasileira, assim gera novos campos de trabalho e o dinheiro pelo financiamento retornara aos cofres publico novamente ao longo do tempo com juros de 0,25% ao mês = a 3,00% ao ano, um valor acessível para todos micro e pequenos empresários ! Gerando impostos nos três segmentos no governo municipal, governo estadual e governo federal. 

 Acreditamos na evolução e na inovação com a comunicação em tempo real pela internet via web.

© Blog da MaluTodos os direitos reservados.
imagem-logo